A exemplo de Salvador, Marquinhos planeja corte de gastos

O prefeito eleito Marquinhos Trad (PSD) foi a Salvador, nesta segunda-feira (28), para trocar experiências e reforçou a convicção de que o caminho para Campo Grande retomar os trilhos do desenvolvimento é somar medidas de ajuste fiscal com redução de custeio, além de renegociar dívidas. “Temos que ter coragem de fazer mudanças para ter uma gestão moderna e eficiente”, destacou.

ACM e Marquinhos se reuniram ontem  Foto Divulgação
ACM e Marquinhos se reuniram ontem Foto Divulgação

Em mais de duas horas de reunião, o prefeito reeleito de Salvador Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM) relatou a Marquinhos e a Pedro Pedrossian Neto as principais medidas adotadas para Salvador retomar o desenvolvimento. “Logo no início, ACM Neto contou o roteiro da escolha dos secretários, foi uma decisão técnica e livre de pressões políticas e, no mandato, sempre cobrou da equipe o cumprimento de metas”, disse Marquinhos.

No primeiro dia da gestão, segundo o economista Pedro Pedrossian Neto, o prefeito de Salvador lançou 60 decretos de ajuste fiscal e de redução de custeio e de comissionados. “Foram medidas para ajustar as contas, organizar e preparar a Capital da Bahia para o futuro”, relatou o integrante da equipe de transição de Marquinhos.

Considerada um dos sucessos da administração de ACM Neto, a negativação de contribuintes que não quitarem dívidas de impostos deve ser uma das primeiras ações de Marquinhos que assume a prefeitura de Campo Grande em janeiro.

Atualmente, estima-se que o valor de impostos – como o IPTU – devido por moradores de Campo Grande chegue ao montante de R$ 2 bilhões. Para aumentar a arrecadação e amenizar a crise financeira em que a administraçao se encontra, a prefeitura deverá colocar em prática o mesmo feito em Salvador.

Com as medidas, no primeiro ano da gestão, ACM Neto fez o que chamou de “zeladoria da cidade”. “Ele fechou os buracos, iluminou a cidade e tornou as praças um espaço para as famílias. Hoje, Salvador, ao contrário de quando o prefeito reeleito assumiu, é limpa, bem cuidada e as pessoas podem aproveitar a cidade à noite”, ressaltou Marquinhos.

No segundo ano do mandato, ACM Neto contou que lançou várias obras de modernização, urbanização e desfavelamento. No terceiro, se dedicou a reforçar programas sociais e, no quarto, a meta foi concluir as obras. “Como em Campo Grande, o prefeito de Salvador encontrou uma série de dificuldades, mas com coragem e gestão superou os desafios”, salientou Pedro Pedrossian Neto.

“A conversa com ACM Neto reforçou a nossa convicção da necessidade de ter coragem para cortar gastos, renegociar dívidas e para fazer um ajuste fiscal a fim de acabar com a sonegação de impostos”, afirmou Marquinhos. Também participaram da reunião o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM) e secretários da gestão de ACM Neto.]

Comentários

comentários