Ex-presidente da Ferrari diz que ‘notícias sobre Schumacher não são boas’

Ex-presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo diz estar muito pessimista com o estado de saúde de Michael Schumacher, que há dois anos sofreu gravíssimo acidente de esqui.

Luca di Montezemollo e Michael Schumacher, em 1996. Parceria de sucesso na Ferrari (Foto: AP Photo)
Luca di Montezemollo e Michael Schumacher, em 1996. Parceria de sucesso na Ferrari (Foto: AP Photo)

“Sobre Schumacher? Sigo me informando, mas as notícias que me chegam não são boas”, disse.

Montezemolo não deu nenhum sinal de otimismo em relação ao ex-piloto do Fórmula 1. “Michael foi um grandíssimo piloto, com quem tive uma larga relação pessoal e profissional. Mas a vida é estranha”.

A assessoria do alemão se recusou a responder o comentário do ex-mandatário da Ferrari.

Desde que se acidentou, pouco se sabe sobre o real estado de saúde do ex-piloto. A família de Schumacher proibiu médicos e profissionais que cuidam do ex-piloto de repassar qualquer informação à imprensa.

Sete vezes campeão mundial, Schumacher teve sua história na Fórmula 1 atrelada à Ferrari. Pela equipe italiana, o alemão faturou cinco títulos.

O distanciamento afeta, inclusive, pessoas próximas ao alemão em seu tempo de piloto. O ex-empresário do piloto, Willi Weber, criticou a mulher de Schumacher, Corinna, que estaria o impedindo de visitar o heptacampeão mundial de Fórmula 1.

“Corinna me impede de ter qualquer contato com Michael. Tentei várias vezes visitá-lo, sem sucesso. Eles sempre se recusam a me dar permissão para vê-lo. A situação é insustentável para mim e minha família sofre. Durante 25 anos, as nossas famílias estavam intimamente relacionadas e agora… ninguém pode entender”, reclamou ao “Bild”.

O acidente de 29 de dezembro de 2013 fez com que Schumacher tivesse um traumatismo craniano e ficasse nove meses internado, sendo seis deles em coma. Em setembro de 2014, ele foi transferido para sua casa em Gland, na Suíça, onde continua o tratamento. (UOL)

Comentários

comentários