Estudo Nacional sobre incidência de HPV em jovens começa a ser feito na Capital

Lúcio Borges

Equipe em estudo

A incidência do HPV (Papilomavírus humano) em adolescentes de ambos os sexos, com idade entre 16 e 25 anos, estará sendo estudada em Campo Grande, durante quase dois mês, em seis postos de Saúde de diversas regiões da cidade. O estudo se iniciou nesta segunda-feira (24), seguindo até setembro, pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), em ação vinda do Ministério da Saúde, que em parceria com os órgãos locais, desenvolve o ‘Estudo Pop Brasil’, para analisar o problema pela doença. Os jovens interessados em participar do estudo, podem ir sozinhos para fazer o exame e saber se têm HPV, bem como para responder o estudo.

O Pop Brasil é desenvolvido em outras cidades brasileiras pela médica e pesquisadora Eliana Márcia Da Ros Wendland, do Hospital Moinho dos Ventos de Porto Alegre/RS. O objetivo é descobrir a prevalência do papilomavírus humano em adolescentes de todo o país. A pesquisadora esteve na Sesau no último dia 18, e em março deste ano, os servidores da Sesau iniciaram várias  capacitações para poder integrar o estudo que está sendo desenvolvido.

O Pop Brasil em Campo Grande vai acontecer até 19 de setembro e não há uma meta estabelecida de jovens para participar do estudo. O exame é gratuito e sigiloso. Na unidade de saúde, o jovem deve procurar as enfermeiras que foram capacitadas em abril e nesta última semana e passaram e integrar o POP Brasil como pesquisadoras. Todos os dados do estudo são sigilosos e os menores de idade podem participar sem a autorização dos responsáveis.

Em Campo Grande, o estudo será realizado na população determinada nas seguintes unidades: UBSF do bairro Vida Nova; UBS dos bairros Estrela do Sul, vila Nasser, Serradinho e Popular; como também na UBS 26 DE AGOSTO;

O HPV

O papilomavírus humano (HPV) é a infecção sexualmente transmissível (IST) mais comum. Muitas pessoas com HPV não desenvolvem nenhum sintoma, mas ainda podem infectar outros indivíduos pelo contato sexual. Os sintomas podem incluir verrugas nos órgãos genitais ou na pele circundante.

Não há cura para o vírus, e as verrugas podem desaparecer por conta própria. O tratamento visa eliminar as verrugas. Uma vacina que previne os variados tipos de HPV com maior probabilidade de causar verrugas genitais e câncer cervical é recomendada para meninos e meninas.

Comentários

comentários