Estudo mostra que cérebros de gamers têm melhor função cognitiva

Você agora tem mais um argumento para defender o hábito de jogar videogame. De acordo com um estudo publicado esta semana pela revista americana Nature, fãs de jogos de ação possuem mais massa cinzenta e melhor função cognitiva do que pessoas pouco interessadas em games.

Pesquisadores da Universidade de Ciência Eletrônica e Tecnologia da China realizaram ressonâncias magnéticas em 27 gamers de alto nível – a maioria formada por competidores de e-sports – e em outros 30 jogadores “amadores”.

Os cientistas focaram suas análises numa região do córtex cerebral conhecida como ínsula, geralmente relacionada a habilidades de percepção, coordenação motora e funções cognitivas. Dessa forma, foi possível identificar onde as conexões neurais acontecem com maior intensidade no cérebro dos gamers.

Na maior parte dos casos, os cérebros dos jogadores profissionais possuíam maior atividade no lado esquerdo, associado a cálculos, lógica e pensamento objetivo. Isso explicaria a facilidade com que gamers conseguem resolver problemas simples de forma mais rápida do que pessoas que não jogam.

Os cientistas também descobriram que jogadores profissionais têm mais massa cinzenta – a substância que ajuda nosso cérebro a processar novas informações. O estudo conclui que, quanto mais você jogar, mais massa cinzenta seu cérebro vai produzir e, consequentemente, melhores e mais fortes conexões ele vai realizar.

O próximo passo dos cientistas é descobrir se gamers também possuem uma melhor neuroplasticidade – a capacidade de neurônios de mudar de forma e adaptar-se a novas experiências e informações.

Info Abril

Comentários

comentários