Estrondo e tremor em Campo Grande foi provocado por explosão em pedreira

O estrondo ouvido por moradores da região oeste e sudoeste de Campo Grande na tarde de sexta-feira (19) foi decorrente de explosão na pedreira da Votorantim. A afirmação é de fiscais do Departamento Nacional de Produção Mineral, do Ministério de Minas e Energia, que estiveram no local na manhã desta segunda-feira (22).

Movimentação de caminhões no acesso à pedreira (Foto: Osvaldo Nóbrega/ TV Morena)
Movimentação de caminhões no acesso à pedreira
(Foto: Osvaldo Nóbrega/ TV Morena)

Em nota, a empresa disse que cumpre rigorosamente as normas de segurança previstas em lei, que o monitoramento é constante e que não registrou nenhum ponto de detonação de rochas fora do normal. Sobre a fiscalização, disse que é trabalho de rotina do DNPM.

Os fiscais observaram que a empresa fez um tipo de detonação diferente do habitual. Agora, será feito um teste chamado sismografia para verificar as consequências da explosão.

Barulho
O estrondo assustou e preocupou muita gente. O comerciante Ataide Nunes disse que ouviu um barulho muito forte por volta das 16h (de MS). “Ia saindo de casa e ouvi uma explosão. Parecia uma explosão”, disse. Nunes estava perto do bairro José Abraão, o mais próximo da pedreira.]

Mas, o mesmo barulho foi ouvido pelo eletrotécnico João Paulo Cintra Peixoto, na Vila Planalto. Por morar perto do Exército, pensou que pudesse ser uma explosão de bombas durante treinamento de militares, pesar de o som ter sido diferente. “Deu um estrondo parecido com explosão. Balançou o telhado e as lâmpadas”, contou.

Tremor
O departamento de geociência da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) mantém sismógrafos – aparelhos que detectam os tremores de terra – em Sonora, Chapadão do Sul e Aquidauana. A leitura feita dos registros da última sexta-feira (19) não indica tremores em Campo Grande.

Susto

Um estrondo seguido de tremor assustou moradores em várias regiões de Campo Grande. Desde as 16h30, pessoas de diversos bairros da Capital relataram que ouviram um estrondo alto e muitos afirmaram que sentiram tremor nas vidraças.

Moradores do São Conrado chegaram a sair de casa com medo do suposto tremor. Também há informações de que o chão e janelas tremeram em edifícios na Afonso Pena e na região central, inclusive na redação do Jornal.

Populares que vivem na região sul, próximo da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) também comentaram o estrondo no Facebook. Há testemunhas do Jardim Panamá, Praça do Papa, Santa Carmélia, Vila Planalto, Taveirópolis e Amambai.

Com Informações TV Morena

Comentários

comentários