“Estamos fazendo de tudo para amenizar os impactos” explica pró-reitora de orçamentos da UFMS sobre bloqueio de recursos

Nádia Nicolau

O bloqueio de 30% dos recursos orçamentários e os impactos diretos à Universidade Federal de Mato Grosso do Sul foram os principais temas discutidos durante entrevista com a pró-reitora de Planejamento e Orçamento da UFMS, Dulce Maria Tristão, ao programa Tribuna Livre, da Capital FM, desta quarta-feira (8).

O recente comunicado do Ministério da Educação (MEC) que anunciou o bloqueio de quase 30 milhões (exatos R$29.784.641,00) para a UFMS, e outras universidades públicas federais do país, causou repercussão, principalmente para a comunidade acadêmica.

Segundo a Dulce Maria, a universidade está fazendo estudos para analisar a situação a curto e médio prazo e que os cursos e projetos que já estão em andamento serão mantidos pela instituição de ensino, as não há como autorizar novas pesquisas. “Não tem como parar uma pesquisa em andamento por falta de recursos, mas não será possível dar início a novos projetos”.

A pró-reitora explicou que o bloqueio implicará diretamente no custeio das despesas com o pagamento de água, energia elétrica, limpeza, manutenção e vigilância da instituição. “Estamos preservando a assistência estudantil e não se cogita o fechamento de cursos”.  Ela afirmou ainda que, no momento, o pagamento dos salários dos servidores da universidade não será prejudicado.

Conforme Dulce, diante da notícia do bloqueio, a reação do corpo docente e acadêmicos se mostra em forma de indignação. Muitos estudantes estão fazendo manifestos por meio das redes sociais. “Vamos reforçar nossa campanha de conscientização. Essa transição não será tranquila, mas acredito que a comunidade acadêmica vai nos ajudar. Estamos fazendo o possível para amenizar os impactos”, disse.

Números – Atualmente, a UFMS oferece 116 cursos de graduação e 61 de pós-graduação (mestrado e doutorado) e está presente em 21 municípios do estado. A UFMS possui cerca de 2.800 professores e técnicos-administrativos lotados em suas unidades administrativas e acadêmicas para atender mais de 23 mil estudantes.

Comentários