Estafe de Guerrero avisa que vai recusar primeira oferta do Corinthians

O Corinthians planeja quitar seus débitos com o elenco ainda nesta semana para então fazer uma proposta oficial pela renovação de Paolo Guerrero.

Mas, se os valores apresentados foram os que as partes conversaram recentemente, a resposta do estafe do peruano será não.

Nesse momento, os agentes de Guerrero trabalham com a informação de que o Corinthians vai oferecer metade do valor que é pedido pelo jogador para assinar um contrato de três anos.

Por esses termos, assegura quem trabalha com o peruano, não haverá qualquer possibilidade de um novo contrato ser firmado.

Mas, por outro lado, as partes sabem que tudo faz parte da dinâmica de uma negociação difícil. Preveem, inclusive, que o negócio ainda vai se arrastar bastante.

Contrato entre Guerrero e Corinthians acaba em 15 de julho Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Contrato entre Guerrero e Corinthians acaba em 15 de julho Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Acreditam, tanto Corinthians quanto representantes, que a tendência natural é por um acerto em valores intermediários. O detalhe é que Guerrero, já há meses, pouco cedeu.

Desde o último ano, o peruano pede US$ 7 milhões (pouco mais de R$ 20 milhões) em luvas por um contrato válido por três temporadas. A melhor oferta do ex-presidente Mário Gobbi, na reta final de 2014, foi US$ 5 milhões à vista, mas acabou recusada.

Um problema que existia, porém, foi equacionado nas conversas entre o novo presidente Roberto de Andrade e os empresários do jogador.

Por um momento, a oscilação cambial foi um fator que dificultou a negociação. A alta do dólar elevou a pedida de R$ 17 para R$ 24 milhões, mas Guerrero já avisou o Corinthians que não levará isso em questão. O estafe do peruano afirma que vai aceitar discutir valores na base do que foi proposto inicialmente.

Na leitura dos empresários, o Corinthians aposta no coração de Paolo Guerrero para vencer as dificuldades financeiras que atravessa. A diretoria trabalha com a perspectiva de que o peruano está feliz no clube, na cidade, próximo de seu país natal e motivado para jogar o mata-mata da Copa Libertadores.

O contrato dele vence em 15 de julho, antes da disputa da semifinal do torneio. A dirigentes corintianos, Guerrero tem dito que gostaria de ficar.

O mercado também joga a favor do Corinthians nesse caso. Recentemente, Bruno Paiva viajou pela Europa durante semanas, explorou sobretudo o mercado italiano, mas não encontrou interessados no jogador.

A direção corintiana sabe que passa a ter mais chances, já que Guerrero não estaria disposto a jogar em ligas alternativas. Além disso, já avisou que não atuará por outro clube brasileiro.

Até a próxima semana, o Corinthians afirma que vai pagar o que deve a seus jogadores, inclusive Guerrero, que tem R$ 2 milhões a receber. Embora conversas preliminares já aconteçam, diretores do clube evitam qualquer comentário público para manter a confiança que têm do elenco.

A ideia é deixar claro ao grupo que há respeito a prioridades e dedicação para pagar atrasados. A partir disso, de fato, vão se iniciar as negociações de forma oficial.

UOL

Comentários

comentários