Estado abre inscrição para o selo social “Prefeitura Amiga da Mulher”

Lúcio Borges

A segunda edição do selo social “Prefeitura Amiga da Mulher” foi aberta nesta segunda-feira (11), para instituições fazerem as inscrições para concorrer ao reconhecimento e prêmio. O cadastro será de dois meses, conforme o DOE (Diário Oficial do Estado), de hoje, trouxe a publicação do edital de seleção 2019 para o certificado. O ‘selo’ visa reconhecer e valorizar práticas inovadoras e programas de enfrentamento à violência contra a mulher e de incentivo ao empreendedorismo feminino, de municípios que possuam Organismos de Políticas para Mulheres (OPMs).

O Selo é uma iniciativa do Governo do Estado, criado por meio do Decreto nº 14.961, de 8 de março de 2018 e na primeira edição foram selecionados 12 projetos de oito municípios. Veja abaixo, as iniciativas e nomes dos projetos e de onde são. O período de inscrição segue aberto até o próximo dia 10 de maio e dúvidas podem ser esclarecidas na Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres, pelo telefone (67) 3316-9191.

A ideia é fomentar a discussão sobre a necessidade de os agentes públicos desenvolverem políticas públicas de combate aos preconceitos e discriminações contra mulheres e meninas. Além disso, o Estado pretende incentivar o associativismo, o cooperativismo, o empreendedorismo, considerando as especificidades e as potencialidades dos municípios.

As propostas e projetos escolhidos serão divulgados em solenidade a ser realizada no dia 1º de agosto, data de lançamento da campanha “Agosto Lilás”. O mês agostino em MS é dedicado a ‘proteção a mulher’ em campanha especifica contra a violência de gênero.

PROJETOS vencedores em 2018

  • “Empenhadas” e “Primeiros Passos no Mercado de Trabalho”, de Amambai;
  • “Patrulha Maria da Penha”, de Corumbá;
  • “Mulher Empoderada é Mulher Fortalecida”, de Dourados;
  • “Reconstruindo conceitos sobre a Mulher”, de Navirái;
  • “Março Mês da Mulher”; “Roda de Conversa com o Movimento de Mulheres Camponesas”, de Ponta Porã;
  • “Projeto Urucum do Brasil”, “Implantação da Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher” e “Maria da Penha vai à Escola”, de Sidrolândia;
  • “Não ao Silêncio”, de Tacuru;
  • “Grupo de Trabalho Intersetorial – GTI”, de Campo Grande.

Comentários