Esqueletos de homem, cavalo e cachorro são encontrados em barco viking

Da Redação

Dois barcos Vikings utilizados como tumbas foram encontrados em Uppsala, na Suécia (Foto: State History Museums)

Duas embarcações vikings usadas como túmulos foram encontradas emUppsala, na Suécia. Em um dos barcos foram encontrados os restos mortais de um homem, um cavalo e um cachorro em bons estados de conservação.

Enterros em navios ocorriam em toda a Europa, especialmente nos países escandinavos, mas isso não significa que eram práticas comuns desses povos. “Essa é uma escavação única, a última escavação deste tipo de tumba na região de Uppsala ocorreu há quase 50 anos”, disse o arqueólogo Anton Seiler, em comunicado.

Segundo os especialistas, esse tipo de sepultura remonta à Era Viking (800–1050 d.C.), quando a forma mais comum de lidar com os mortos era cremando-os. Os corpos presentes na embarcação, contudo, provavelmente eram de pessoas que faziam parte da elite de sua sociedade, já que a prática de realizar enterros em embarcações era reservada aos nobres.

 (Foto: The Archaeologists/State History Museums)
Barco de enterro intacto, antes da escavação (Foto: State History Museums)

A presença dos animais em uma dessas tumbas não é surpresa para os pesquisadores: “É um pequeno grupo de pessoas que foram enterradas dessa maneira. Você pode suspeitar que eles eram pessoas distintas na sociedade da época, já que os navios funerários em geral são muito raros”, apontou Seiler.

 (Foto: The Archaeologists/State History Museums)
Esqueleto do cavalo (Foto: State History Museums)

“É extremamente excitante para nós essa descoberta, já que os enterros em barcos são raramente escavados. Agora podemos usar ciência e métodos modernos que gerarão novos resultados, hipóteses e respostas”, explicou Seiler.

 (Foto: The Archaeologists/State History Museums)
Parte do escudo e um pente ornamentado encontrados perto dos restos mortais do homem (Foto: State History Museums)
 (Foto: The Archaeologists/State History Museums)
(Foto: State History Museums)
 (Foto: The Archaeologists/State History Museums)
O osteologista Ola Magnell e o arqueólogo Anton Seiler durante as escavações (Foto: State History Museums)

Comentários