Escolas do Estado estão fechadas para nova paralisação de Trabalhadores da Educação

Lúcio Borges

Professores aprovaram greve na manhã desta terça-feira em assembleia

A Fetems (Federação dos trabalhadores/as em Educação de Mato Grosso do Sul)  puxa nesta terça-feira (30), uma nova paralisação nas escolas do Estado, que durará este dia, com possível indicativo de greve geral. Hoje, os profissionais da área, seja professores, como os funcionários administrativos vão paralisar suas atividades na rede estadual de ensino, protestando contra o governo estadual, que não teria cumprido com o pagamento do reajuste ao magistério de 7,64% pelo Piso Salarial Nacional para 2017, e também por acordos referente a categoria do setor administrativo, feitos pela atual administração do governo estadual.

De acordo com nota da Federação, será exigido que o Plano de Cargos e Carreira seja respeitado como determina a lei. A entidade e os seus mais de 25 mil educadores, conclama pela ajuda e acima de tudo pela compreensão dos pais, alunos/as e de toda a sociedade. ‘Nossa luta é por uma escola pública cada vez melhor e por um futuro com mais oportunidades!’.

A nota assinada pelo presidente Roberto Botareli e toda diretoria da Fetems, explica que “O governo do Estado não cumpriu com o pagamento do reajuste de 7,64% do Piso Salarial Nacional 2017, que já deveria vir desde o mês janeiro deste ano. O aumento que é garantindo anualmente para ser praticado todo primeiro mês de cada ano, vem por meio da Lei do Piso (Lei n.º 11.738/2008) e pela Lei Complementar Estadual n.º 200/2015. Além disso, a gestão não cumpriu com a promessa que fez no ano passado, de incorporar o abono salarial de R$ 200,00 no salário dos administrativos da Educação e apresentar uma política de valorização salarial para a categoria”, menciona.

A Fetems destaca ainda que não é uma “greve geral”, mas que a paralisação não é apenas um dia de folga, como em geral querem repassar a sociedade, para ficar contra os movimentos e categoria. “Nossa luta é pela valorização profissional, pela garantia da manutenção dos direitos da categoria e por uma escola pública de qualidade, capaz de promover um ensino transformador com respeito aos profissionais e aos estudantes”.

Ação do dia

A categoria fará uma movimentação de protesto, com ato em Campo Grande, a partir das 8 horas. A manifestação pretende ir e chegar na Secretaria de Educação do Estado, no Parque dos Poderes.

Comentários