Escola do Nova Lima recebe 2ª edição do ‘Campo Grande Na Tela’ com o cinema regional

Lúcio Borges

Escola Arlindo Lima na abertura do Projeto

O projeto ‘Campo Grande Na Tela’ terá hoje e amanhã sua segunda edição com exibição inéditas do cinema regional, produzido em Campo Grande, como em outros lugares de Mato Grosso do Sul. A escola municipal Hércules Maymone no bairro Nova Lima, região Norte da Capital é contemplada, onde estudantes da unidade, bem como toda população local, podem participar da ação que será realizado até o mês de junho, como o Página Brazil divulgou de seu inicio no mês passado. Veja abaixo, a lista dos filmes para está segunda mostra e em matéria do dia de abertura, a lista das unidades escolares escolhidas, em cada região da cidade, bem como todos os dais programados e filmes que serão apresentados pelo projeto.

O projeto que foi visto na abertura com três dias de mostra por mais de 300 expectadores, neste mês ocorrerá nestes dias 10 e 11 de abril, com a exibição de filmes e conversa/debate com os cantores Marina Peralta e do grupo de rap La-Firma, bem como com ator Espedito Di Monte Branco e diretora Vânia Duarte. Todos participam de debate que ocorre sempre após a plateia assistir aos filmes, onde podem saber das produções deste seu “sonho” em ser produzida até seu planejamento e execuções até chegar ao público.

O  ‘Campo Grande Na Tela’, que é desenvolvido pela Marruá Arte e Cultura, surgiu como forma de levar o cinema a todas as regiões da cidade e mostrar que a “sétima arte” também é feita em nossa cidade. “Filmes feitos na Capital são exibidos em instituições de ensino para que os jovens tenham contato com a produção audiovisual, já que quase sempre eles só têm acesso a produções estrangeiras, em sua maioria de Hollywood. E nunca até imaginam, como já sabíamos e foi ratificado na 1ª mostra, com jovens se surpreendendo e dizendo que não imaginavam que era feito em Campo Grande”, comenta Belchior Cabral, coordenador do projeto.

Assim, em sua segunda mostra, o ‘Campo Grande Na Tela’, chega até o bairro Nova Lima, na Escola Hércules Maymone, que foi a escolhida para receber as exibições, que acontecem nos dias 10 e 11 de abril, às 17h. “Além dos alunos, moradores da comunidade e região podem assistir os 13 filmes que serão exibidos nos dois dias. O projeto conta com recurso do FMIC (Fundo Municipal de Investimentos Culturais), advindo da Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura. Antes de levar as exibições para cada escola, integrantes do projeto vão até o local e expõem um guia pedagógico explicando como ele funciona e apresentando os filmes que participam da mostra”, explica Cabral sobre os momentos do projeto.

Debate em conversa na primeira edição

Após filmes, para Educação na sala de aula

O coordenador ainda lembra, que no guia ainda há sugestões de temas e exercícios sobre o conteúdo gerado a partir deste contato com o cinema que podem ser aproveitados em sala de aula nas disciplinas de História, Literatura, Português, Geografia e Artes. O projeto atende o cumprimento da Lei que determina a exibição de filmes nacionais nas escolas de educação básica.

“Nos últimos anos, o trabalho da Marruá se aproximou do cinema e da prática audiovisual. De projetos que desenvolvemos surgiram vários curtas. Percebemos que havia um acervo deles bastante relevantes e reveladores sobre a cidade em que moramos. Diante desse repertório pensamos ser importante transmitir esse conhecimento às novas gerações, produzindo mostras para exibição nas escolas e guias pedagógicos para apoiar os educadores, realizando debates”, explica Belchior Cabral.

Para que os alunos entendam melhor como funciona o cinema campo-grandense é promovido um debate após as exibições. “Na Escola Hércules Maymone foram convidados a cantora Marina Peralta e o grupo de rap La-Firma, no primeiro dia, o ator Espedito Di Montebranco e a diretora Vânia Duarte no segundo dia”, disse.

O inicio – lançamento

A primeira mostra ocorreu nos dias 26 e 27 de março, na Escola Municipal Arlindo Lima, região do Centro. Foi o primeiro contato que os estudantes tiveram com o cinema local. “Não sabia que existia filmes feitos aqui. O que eu mais gostei foi ‘Preto e Branco’, porque amo futebol e ele fala de um time daqui”, afirmou o aluno de 13 anos Keinny Vilhalba.

Para Heitor Freire, que prestigiou a primeira mostra representando o Instituto Histórico e Geográfico de Campo Grande, o projeto tem o potencial de instigar a curiosidade desses adolescentes. “Ele vai despertar o interesse dos jovens pelo cinema e cultura locais, já que tem um conteúdo bastante diverso e rico”, avalia.

Nessa segunda mostra serão exibidos: Ser Criança Em Campo Grande, de Tina Xavier; Olhar Diferente, de Marielle Oliveira; O Olhar Indígena Sobre Campo Grande, de Sidney de Albuquerque; Espera e Enterro, de Fábio Flecha; Ela Veio Me Ver e A TV Está Ligada, de Essi Rafael; Nova Lima, Mil Pecados, de Ivair Dantas; Clave Latina e Preto e Branco, de André Monteiro; Tia Eva, de Ana Carla Pimenta e Vânia Lúcia Duarte; Lamento, de Eduardo Romero; e Memórias de Luz, de Farid Fahed.

A próxima instituição a receber o projeto será a Escola Municipal Nagib Raslan, no Jardim Petrópolis, localizada na região Imbirussú, no dia 18, de manhã e à tarde.

Comentários

comentários