“ESCALENAS” do corpomancia aborda o universo feminino no Centro Cultural

Com apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), o Conectivo Corpomancia apresenta o espetáculo “Escalenas”, na quarta e quinta-feira (22 e 23), com sessões gratuitas, às 19 horas, e 20h30, no Teatro Aracy Balabanian, do Centro Cultural José Octávio Guizzo. O espetáculo tem classificação de 12 anos e duração aproximada de 45 minutos.

esca

Amizades, amores, estados emocionais, encontros e desencontros, humores: sentimentos e ações que fazem parte do universo feminino são incorporados por meio da dança, por três bailarinas intérpretes. A ‘mulher’ é o foco principal deste trabalho.

O espetáculo surgiu de um encontro do Conectivo Corpomancia com a coreógrafa Esther Weitzman, do Rio de Janeiro-RJ. A profissional foi convidada para contribuir com o trabalho “Maria, Madalena”, de 2010, do repertório do grupo. “Por meio de um projeto de Intercâmbio entre os espetáculos “Maria, Madalena” e “Jogo de Damas” (da Esther Weitzman Cia de Dança e convidadas), aconteceram alguns encontros em maio e novembro de 2014 entre as companhias. Destas reuniões, aproximações e trocas, surgiu o “Escalenas”, que aborda o universo feminino de três mulheres de personalidades bem diferentes”, revela a diretora e coreógrafa Renata Leoni.

Segundo Renata, o nome ‘Escalenas’ foi criado a partir do triângulo escaleno (que possui todos os lados diferentes, mas que juntos formam uma figura geométrica), por se tratar de uma apresentação com três mulheres distintas que desenham figuras no espaço: “Três lados, três bailarinas intérpretes, três mulheres. E mais. Mulheres aos borbotões: se encontrando, se perdendo, se relacionando. No palco elas brincam, experimentam e desenvolvem no espaço inter-relações. Seus corpos se enlaçam e se amarram; desenham nós. Reúnem-se para vivenciar em conjunto experiências nas quais a multiplicidade dessas personas propõe estímulos diversos”.

No palco as bailarinas intérpretes criadoras Franciella Cavalheri, Roberta Siqueira e Laura de Almeida, apresentam movimentos da dança contemporânea, a linguagem do espetáculo. “Escalenas” engloba o cotidiano, movendo-se para a exaustão do gênero. Reposiciona-se e estuda o outro. Examina a rigidez de algumas escolhas. O feminino, tema complexo e amplo, entra em debate.

Em fevereiro e março deste ano, o espetáculo foi apresentado em quatro cidades da região Norte do Brasil: Porto Nacional (TO), Palmas (TO), Belém (PA) e Rio Branco (AC), por meio do projeto ‘Corpomancia em Circulação’, contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2013, da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Agora é a vez de Campo Grande-MS receber a apresentação. Na capital, o espetáculo tem investimento da Fundação de Cultura de MS (FCMS), por meio do Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança 2014.

lenas

O conectivo Corpomancia também vai realizar uma Mostra de Processos do espetáculo, que é um ensaio aberto voltado para pessoas que tem interesse nos processos de criação, para troca de experiências com a equipe de artistas e para contribuições com a construção da apresentação. A mostra vai acontecer junto ao curso de Artes Cênicas e Dança da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

O espetáculo tem Direção e Coreografia de Renata Leoni; Provocadora: Esther Weitzman; Bailarinas intérpretes criadoras: Franciella Cavalheri, Laura de Almeida e Roberta Siqueira; Registro audiovisual: Cravo Filmes/Adriel Santos e Franciella Cavalheri; Textos: Maíra Espíndola; Figurino: Tetê Iriê; Iluminação: Camila Jordão; Designer Gráfico: Buennas Estúdio de Design/Paula Bueno e Mariana Mosena e Produção: Arado Cultural (Roberta Siqueira, Renata Leoni e Marcos Mattos)

Com sete anos de existência, o conectivo Corpomancia é um eixo de processos colaborativos situado em Campo Grande-MS, que integra artistas da dança com formações diferentes e atuações profissionais também diversas, com o objetivo de pesquisar, produzir e criar dança contemporânea em sua relação com diferentes suportes: jogo, espetáculo, performance, videodança, videoinstalação e mídias digitais. Desde sua criação, o conectivo elabora produtos a partir da deflexão de conceitos que desestabilizam o hábito de produção de dança da região e usa da mediação das tecnologias para criar e divulgar seus trabalhos.

Já realizou os seguintes espetáculos: 2014: Escalenas (Prêmio Célio Adolfo de Incentivo a Dança 2014), 2013: De tudo fica um pouco (Prêmio Funarte Petrobras Klauss Vianna 2012), 2012: Sem Cerimônia (Prêmio Funarte Arte nas Ruas 2011) e Inocência (Prêmio Funarte Klauss Vianna 2011), 2010: Maria, Madalena (FMIC/2010), 2009: me=morar: o corpo em casa (Prêmio Funarte Klauss Vianna 2009), 2008/2009: 5Min (em parceria com a Cia Dançurbana), 2008: Corpomancia: um jogo de dança em cena (jogo-espetáculo).

Serviço – As apresentações são gratuitas, com capacidade para 100 pessoas por apresentação os interessados devem retirar os ingressos 30 minutos antes da sessão desejada na bilheteria do teatro. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (67) 9202-5340. O Centro Cultural José Octávio Guizzo fica na rua 26 de Agosto, 453 entre a Calógeras e a 14 de Julho.

Comentários

comentários