Erro da Comissão de Ética, dá mais prazo para defesa de vereadores

Um erro de protocolo das notificações dos nove vereadores investigados pela Comissão Permanente de Ética da Câmara pela suspeita de envolvimento no suposto esquema de compra de votos de vereadores para a cassação do prefeito Alcides Bernal (PP), permitiu que os investigados ganhem mais prazo para elaborarem suas defesas.

Segundo João Rocha, o ofício já foi corrigido  Foto Silvio Ferreira
Segundo João Rocha, o ofício já foi corrigido Foto Silvio Ferreira

De acordo com o presidente da Comissão, vereador João Rocha (PSDB), “os ofícios que notificaram os vereadores não especificavam o local exato de entrega da defesa dos vereadores na Casa, que é a Comissão, é claro, mas a falha foi observada pelos advogados”, comentou Rocha.

Segundo Rocha, o ofício já foi corrigido e os vereadores passam a ser comunicados a partir de hoje e um novo prazo de dez dias para a apresentação da defesa passa a contar a partir de então.”

O vereador informou ainda que, na reunião de ontem (14) da Comissão de Ética, ficou definido que, os processos desmembrados dos nove vereadores serão analisados pelos cinco integrantes da comissão, mas um relatório de cada um dos investigados será elaborado pelo vereador Airton Araújo (PT), para definir uma linha uniforme de análise de todos os casos”, finalizou.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários