Entrevista: Rose Modesto se diz preocupada com cortes na educação e fala sobre eleições 2020

Nádia Nicolau

Nesta segunda-feira (19), a convidada para a entrevista do dia, no programa Tribuna Livre, da Capital FM, foi a deputada federal por Mato Grosso do Sul, Rose Modesto (PSDB). Durante o bate papo, a parlamentar disse que vê com preocupação, desde o início dos contingenciamentos, o reflexo que isso está sendo atingido no setor da educação em todo o país.

Rose lembrou que em julho, um novo corte de recursos foi feito pelo governo federal, o que deve prejudicar os cursos técnicos, segundo o que declarou a deputada. Modesto também disse que “a câmara faz a sua parte de cobrar e fiscalizar”. Vale destacar que a deputada é Titular da Comissão Externa do Ministério da Educação.

Em relação a Mato Grosso do Sul, mais especificamente à Universidade Federal do Estado, com os cortes dos investimentos, há risco iminentes que podem afetar a instituição já no próximo mês.

Projeto de Lei prevê aumento de pena do crime de feminicídio

Também ocupando cargo de titular na Titular Comissão da Violência Doméstica contra a Mulher, uma proposta, de autoria da deputada federal, propõe alteração no Código Penal e na Lei de Crimes Hediondos e, caso o texto seja sancionado, a punição pela prática do crime de feminicídio resultará ao autor o cumprimento de pena de, no mínimo, 20 anos em regime fechado.

“Para que a violência deixe de existir, precisamos educar. A pena mais dura tem tendência a causar reflexão e terá com caráter preventivo. É assustados o que está acontecendo com as mulheres”. A parlamentar afirmou que o Estado ocupa o 5º lugar, na posição nacional, no quesito ‘maior índice de violência’.

A deputada destacou que, no momento em que são distribuídas as emendas, é importante olhar para as políticas públicas e destinar recursos para investimentos efetivos no combate à violência.

Eleições 2020

Embora tenha externado sua enorme vontade de administrar Campo Grande, na condição de prefeita da Capital, Rose descartou sua candidatura às eleições de 2020. Ela observou que na última corrida eleitoral, disputou contra o atual gestor, Marcos Trad, dizendo que o então projeto do candidato concorrente à época era contrário ao que a cidade precisava.

Agora, por questão de um desejo pessoal de não querer ser candidata e por suas funções como deputada no Congresso Nacional, ela não deve disputar a próxima eleição.

Mesmo assim, Rose Modesto disse que o diretório do seu partido começará a se organizar e a falar sobre eleições a partir do início do ano que vem. A parlamentar declarou que já foi procurada por outros partidárias. “Recebi convites de alguns partidos. Me sinto honrada por ser lembrada por siglas importantes”.

Governo Bolsonaro

“Esse Governo tem virtudes e qualidades”, disse Rose, em um primeiro momento sobre a administração do atual governo, e classificou como “coragem e habilidade” a iniciativa de iniciar a reforma da Previdência que, segundo ela, estava sendo postergada há pelo menos 20 anos.

A parlamentar reforçou que “a pauta econômica é forte nesse governo”, referindo-se, também, as movimentações em torno de outra importante reforma em termos econômicos, a tributária. “O PSDB está ao lado do governo nas pautas em que acredita que ser necessária”, disse.

CLIQUE AQUI para conferir a entrevista na íntegra.

Comentários