Enfurecidos com corte de luz, moradores ameaçam bloquear rodovia

Corte de energia gerou revolta nos moradores (Foto: Dourados News)

O corte do fornecimento de energia na Comunidade Vitório, na manhã desta quinta-feira (26), enfureceu famílias da região, que ameaçam trancar a BR-463, que liga Dourados a Ponta Porã.

De acordo com o Dourados News, aproximadamente 150 famílias da comunidade, localizada na sitioca Campo Belo, pretendem bloquear o acesso da rodovia.

O local foi cedido às famílias, depois que elas ocuparam um residencial em abril do ano passado. Após se instalarem, as famílias teriam feito barracos, casas de alvenaria e madeira, com isso a ligação de energia. Como não houve regularização, em dezembro a empresa responsável pelo fornecimento de energia foi no local e então efetuou o corte.

Ainda conforme o site, as famílias  fizeram a religação. Na manhã de hoje, a empresa efetuou o corte com apoio da Polícia Militar.

Revoltados com a situação, os moradores alegaram querer a regularização. Eles não negam em pagar pelo consumo de energia, porém querem que a regularização das famílias no local seja efetuada.

Alguns moradores se reuniram para tentar um contato com a prefeita Délia Razuk e assim resolver a situação, caso contrário ameaçam bloquear a rodovia.

Procurada pelo Dourados News, a Energisa alegou que as famílias utilizavam a rede de energia elétrica de forma ilegal, por meio de ligações clandestinas, também conhecidas como “gato”.

Confira a nota na íntegra

A Energisa esclarece que os moradores da Sitioca Campo Belo estavam utilizando a rede de energia elétrica de forma ilegal por meio de ligações clandestinas. O fornecimento foi interrompido na manhã desta quinta-feira para garantir a segurança no local.

Vale ressaltar que a concessionária atua em todo o Estado no combate a furtos de energia, uma obrigação regulatória determinada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Além de ser crime e gerar impacto nas tarifas de clientes regulares, as ligações clandestinas oferecem riscos à população, sobrecarregam e comprometem a confiabilidade da rede de distribuição de energia.

Comentários