Empresário diz que foi vítima de “assalto da pior espécie” sobre Neymar

O Grupo Sonda, ao qual pertence a DIS, se manifestou nesta quinta-feira em Madri sobre as denúncias apresentadas pelo Ministério Público Federal ao atacante Neymar e o depoimento dado pelo jogador à Audiência Nacional.

Delcir Sonda fala do caso Neymar (Foto: GloboEsporte.com)
Delcir Sonda fala do caso Neymar (Foto: GloboEsporte.com)

O sócio-fundador do grupo, Delcir Sonda, afirmou que sua empresa foi vítima de um “assalto da pior espécie”. Na entrevista concedida na Espanha, o empresário se mostrou indignado com a situação.

A DIS, que detinha 40% dos direitos do atacante, apresentou queixa contra Neymar, o Barcelona e seus gestores (Sandro Rosell e Josep Maria Bartomeu), Santos e ex-administradores, o pai e a companhia de propriedade da família do jogador (N&N Consultória Esportiva e Empresarial).

Sonda lamentou a atitude do atleta, que afirmou na Audiência Nacional, em Madri, que não o conhecia.

– Ele disse que não me conhecia e isso é totalmente falso. Muitas vezes fui jantar na casa dele. Essa foi uma facada nas costas – afirmou o empresário, que enviou uma mensagem para o jogador ao tomar conhecimento do depoimento.

– Neymar, você é um jogador excepcional e eu não queria que a história o visse pelos atos ilegais que cometeu. Espero que a mesma maturidade que ganhou no campo você possa mostrar agora – afirmou Sonda.

O empresário lembrou ainda que apostou em Neymar quando ele era apenas uma promessa e pagou uma quantia que nunca tinha pago por um jogador daquela idade (€ 2 milhões, mais 10% de comissão para Wagner Ribeiro, seu agente naquele momento). O jogador também tinha propostas de Arsenal, Porto e Chelsea.

A DIS também se sente traída por ter descoberto pela imprensa em 2013 o acordo assinado entre Neymar e o Barcelona em 2011. O acordo teve o objetivo de impedir a livre negociação dos direitos do jogador no mercado do futebol. (globoesporte.com)

Comentários

comentários