Empresa da China negocia aquisição do CSA

Lancepress/JP

Foto: Felipe Brasil

O CSA pode ser o primeiro clube diretamente adquirido por empresários do exterior segundo informação levantada e confirmada pelo veículo Alagoas 24 Horas. Uma companhia da China que não teve seu nome revelado estaria interessada em adquirir o direito de administrar o clube alagoano e, para isso, poderia pagar a suntuosa quantia de até R$ 100 milhões.

Questionado sobre o tema em entrevista exclusiva ao veículo citado, Tenório citou o nível de globalização dos negócios que atingem atualmente o futebol nacional e ainda deu uma “prévia” de qual seria o planejamento a médio e mesmo longo prazo dos interessados.

Algo que, segundo deixou explícito em suas palavras, parece estar agradando a diretoria do Azulino:

– Hoje o mundo está muito globalizado e os investidores estão sempre buscando novas opções de negócios. Recentemente, o Botafogo de Ribeirão Preto e o Bragantino foram adquiridos por grupos empresariais. E há um grupo chinês que tem visto o CSA com bons olhos. Os investimentos são altos e a empresa acenou com a vontade de construir uma Arena, investimentos na base e tornar o CSA mais forte do que é hoje. Isto tem sido estudado há algum tempo. Surgiu essa proposta do CSA se tornar um clube privado e receber esse investimento e estamos negociando um processo de negociação comercial e que possamos dar continuidade a esta conversa.

Em relação a possibilidade desse negócio afetar tanto a identidade visual como também a nomenclatura do clube, Rafael foi taxativo em alegar que essa possibilidade não está em cogitação.

– Isso é uma das coisas que não abrimos mão. Estamos estudando todos os itens. O CSA tem uma tradição centenária, uma torcida e uma história mundial. Nós iremos acordar isso e permanecerá sempre o nome de Centro Sportivo Alagoano. O que mudará será o investimento, o regimento, a administração. Mas nada que interfira na nossa paixão, na nossa torcida. Eles não demonstraram nenhum interesse em mudar o nome do clube. Estamos negociando uma marca que é forte, e ninguém tem o interesse de acabar com ela.

O diretor Raimundo Tavares disse que apenas o presidente do clube possui autonomia para falar sobre o tema. Até a publicação dessa matéria, o CSA, via assessoria de imprensa, não se pronunciou questionado sobre a chance de confirmação junto ao presidente.

Comentários