Empreiteiras são multadas em R$ 1,4 milhão por serviço ruim em rodovia

O Dnit-MS (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes em Mato Grosso do Sul) multou o consórcio CC/CSL, formado pelas empresas CC Pavimentadora e CSL Construtora Sacchi em R$ 1.440.966,54 por “conduta reprovável” das empresas em descumprimento de cláusulas contratuais, segundo publicação desta terça-feira (15) no Diário Oficial da União.

Rodovia deveria ser mantida por consórcio por 5 anos
Rodovia deveria ser mantida por consórcio por 5 anos

A empresa foi contratada em março de 2013 para fazer manutenção, durante cinco anos, de 241 quilômetros da BR-060. O motivo da penalidade é a má qualidade do serviço prestado.

De acordo com publicação da superintendência do Dnit, o valor da multa é referente a 10% da parcela já paga pela União ao consórcio.

Os problemas envolvendo a má qualidade da BR-060 são antigos. Buracos e asfalto esfarelando era a realidade da via. Já foram contabilizados vários acidentes na via, e a principal causa alegada pelos envolvidos e policiais que atenderam as ocorrências, são as ‘crateras formadas no asfalato’

Em 2013, o Dnit deu início, por meio de um Contrato de Restauração e Manutenção (Crema), ao processo para contratação de empresa para manter a BR-060 no Estado por um período de cinco anos.

Em março de 2013, o consórcio foi declarado vencedor da concorrência que contava com outros cinco consórcios. Nos cinco anos, o consórcio CC/CSL receberia R$ 98,6 milhões pela manutenção da rodovia.

No entanto, processo de investigação do próprio Dnit foi iniciado em razão da má qualidade da manutenção. Quem assinou a penalidade e a multa que será cobrando do consórcio foi o superintendente regional do Dni, Thiago Bucker.

Comentários

comentários