Em jogo disputado e cheio de lances curiosos, Palmeiras vence o Ceará no Pacaembu

GE

Marcos Ribolli

Na quinta vitória seguida no Campeonato Brasileiro, o Palmeiras fez 2 a 1 no Ceará na tarde deste domingo, no Pacaembu, e terminará a 30ª rodada com, no mínimo, a mesma vantagem que tinha na liderança da competição. Principais perseguidores do Verdão, o Flamengo enfrenta o Paraná logo mais, no Durival Britto, enquanto o Internacional recebe o Santos na noite de segunda-feira, no Beira-Rio. O Vozão, que vinha de duas rodadas sem perder, mas tem um jogo a menos em relação aos adversários, continua na zona de rebaixamento.

O Palmeiras chegou a 15 jogos de invencibilidade neste Brasileirão, com 12 vitórias e três empates. Não perde desde a 15ª rodada (Fluminense 1 x 0 Palmeiras), quando Roger Machado foi demitido. Depois, o interino Wesley Carvalho comandou a equipe um vez (Palmeiras 3 x 0 Paraná), antes de Felipão assumir (América-MG 0 x 0 Palmeiras). Em 2016, quando também conquistou o Brasileirão, o Palmeiras de Cuca atingiu a mesma sequência, mas com 10 vitórias e cinco empates.

Aos 13 minutos do primeiro tempo, uma bola cabeceada por Willian bateu no braço erguido de Edinho e saiu pela linha de fundo. O árbitro André Luiz de Freitas Castro, de Goiás, auxiliado por seus auxiliares, marcou escanteio. Felipe Melo chegou a se ajoelhar pedindo pênalti… Logo em seguida, avisado pelo quarto árbitro, Márcio Soares Maciel, o juiz marcou a penalidade, convertida por Bruno Henrique, aos 17, sob protesto de Lisca e dos jogadores do Ceará. Para o comentarista de arbitragem Renato Marsiglia, a decisão da equipe de arbitragem, “formada por seis integrantes, que podem interferir nas decisões”, foi correta.

Durante o primeiro tempo, ainda reclamando do pênalti marcado, Lisca foi expulso de campo – na saída, xingado pela torcida, o técnico fez gestos de “roubo” na direção das cadeiras do Pacaembu. Antes do início do segundo tempo, o árbitro expulsou o auxiliar de Lisca, Márcio Hahn, que estava dando instruções aos seus jogadores dentro do campo.

Comentários