Em jogo de viradas, Palmeiras arranca empate contra o Furacão

Em uma noite de viradas e emoção na Arena da Baixada, o Palmeiras arrancou um empate nos acréscimos para evitar a quarta derrota no Campeonato Brasileiro. Os 3 a 3 diante do Atlético Paranaense seguraram o adversário atrás na classificação, mas deixam o sonho da Libertadores da América para a Copa do Brasil. Com 49 pontos, o Verdão cai para a 10ª colocação. Já o Furacão, com 47, estacionou em 12º lugar.

Jogo foi muito disputado (Foto: Gazeta Esportiva)
Jogo foi muito disputado (Foto: Gazeta Esportiva)

O Rubro-Negro precisou de pouco mais de um minuto para abrir o placar, com Marcos Guilherme, que apareceu com liberdade na área para cabecear para as redes. Depois do intervalo, aos oito minutos, aproveitando jogada de Gabriel Jesus, Rodinho deixou tudo igual. A virada veio aos 28 minutos, com Jackson, aproveitando escanteio para marcar de cabeça. Mas Ewandro, aos 38 minutos e aos 41 minutos, quase estragou a festa visitante. Quase, porque Alecsandro, aos 49 minutos, fez o dele em meio a muita confusão.

Na próxima rodada, o Atlético Paranaense enfrenta o Sport, domingo, na Ilha do Retiro, no Recife. Já o Palmeiras recebe o Cruzeiro, sábado, no Allianz Parque, em São Paulo.

O jogo 

Nem deu tempo para o time palmeirense se ambientar na Arena e, logo no primeiro minuto, Marcos Guilherme aproveita cruzamento de Sidcley e, com liberdade, testou para o fundo das redes e abriu o placar. O Verdão tentou responder rapidamente, com Dudu lançando Lucas na entrada da área, mas antes mesmo do chute o árbitro parou o lance para marcar o impedimento. O Furacão não aproveitou o bom momento criado logo no início e deixou a equipe paulista crescer.

Cristaldo chegou bem aos 14 minutos, aproveitando levantamento na medida, mas desviando em cima da defesa, ganhado apenas o escanteio, desperdiçado na sequência da jogada. O Atlético voltou a aparecer no jogo aos 18 minutos, mais uma vez com Marcos Guilherme, que não conseguiu, no entanto, completar o cruzamento com a mesma felicidade, mandando para fora. O técnico Cristóvão Borges foi obrigado a queimar a primeira mudança aos 20 minutos, com Roberto saindo lesionado para a entrada de Daniel Hernández.

A partida era disputada, mas não necessariamente tecnicamente agradável. O Palmeiras parecia não ter aproveitado bem o retiro durante a pausa do Brasileirão e errava demais. Já o Furacão aguardava para aproveitar as falhas, como aos 24 minutos, com Marcos Guilherme girando sobre Vitor Hugo para finalizar para fora, com desvio. O Verdão chegou mais uma vez ao ataque aos 36 minutos, com Rafael Marques, que recebeu de Cristaldo e dominou de forma bizarra, desperdiçando a chance. Aos 43, foi a vez de Cristaldo receber na área, cochilar, e perder a bola para a defesa, de frente para o gol.

Para o segundo tempo, em busca de mais qualidade no ataque, o técnico Marcelo Oliveira optou pela entrada de Gabriel Jesus no lugar de Rafael Marques. A mudança, pelo menos nos primeiros movimentos, não fez grande diferença, já que a partida recomeçou mais travada. A confusão era tanta pelo lado palmeirense que, aos cinco minutos, Vitor Hugo chutou em cima de Eduardo e quase matou Fernando Prass no lance.

No momento em que o jogo estava estranho, Robinho, aos oito minutos, aproveitou toque mascado de Gabriel Jesus para balançar as redes e deixar tudo igual. A mudança de Marcelo fez efeito. A defesa atleticana batia cabeça, mostrando a falta de entrosamento entre Kadu e Cleberson. Cristaldo quase aproveitou aos 15 minutos, e a finalização foi para muito longe. Uma mexida na defesa do Atlético era questão d e tempo, mas quem saiu foi Kadu, não Cleberson, que não atuava desde o Estadual.

Daniel Hernández resolveu testar Fernando Prass, aos 27 minutos, e o arqueiro alviverde só acompanhou a saída da bola. O troco veio rápido e foi fatal. Aos 28 minutos, Jackson aproveitou cobrança de escanteio, cabeceou para o gol para decretar a virada. Na sequência, o zagueiro desabou no chão, mas se recuperou. Restou a Cristóvão tirar o zagueiro Cleberson para a entrada de Ewandro. E o atacante precisou de um minuto para, aos 38, deixar tudo igual. A estrela de Ewandro – e de Cristóvão – ofuscou tudo que aconteceu na partida quando, aos 41 minutos apareceu na frente de Prass após cobrança rápida de falta e tocou no cantinho para marcar. Mas, aos 49 minutos, depois da expulsão de Jackson, Alecsandro, aproveitando escanteio, deixou tudo igual.

ATLÉTICO-PR 3 x 3 PALMEIRAS

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 18 de novembro de 2015, quarta-feira
Hora: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)
Assistentes: Marcio Gleidson Correia Dias e Hélcio Araújo Neves (ambos do PA)
Cartões amarelos : Cleberson (Atlético-PR); Jackson, Amaral (Palmeiras)
Cartões vermelhos: Jackson e Robinho (Palmeiras)

Gols
ATLÉTICO-PR: Marcos Guilherme, a 01 minuto do primeiro tempo e Ewandro, aos 38 minutos e aos 41 minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Robinho, aos 08 minutos e Jackson, aos 28 minutos e Alecsandro, aos 49 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-PR: Weverton; Eduardo, Kadu (Ricardo Silva), Cleberson (Ewandro) e Roberto (Hernández); Otávio, Barrientos, Sidcley e Marcos Guilherme; Nikão e Walter
Técnico: Cristóvão Borges

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Zé Roberto; Amaral (Arouca) e Matheus Sales; Robinho, Dudu e Rafael Marques (Gabriel Jesus); Cristaldo (Alecsandro)
Técnico: Marcelo Oliveira

globoesporte.com

Comentários

comentários