Em festa ‘preto e branco’ vermelhinho não tem vez; Botafogo no G-6 queima o Inter na zona de rebaixamento

O Internacional já imaginava sair da zona de rebaixamento do Brasileiro após cinco rodadas consecutivas, mas foi frustrado por Sassá. O atacante do Botafogo entrou no segundo tempo, nesta quarta-feira, no estádio Luso Brasileiro, na Ilha do Governador, sofreu um pênalti e converteu, dando ao clube carioca a vitória por 1 a 0.

Reprodução - ESPN
Reprodução – ESPN

Com a derrota do Sport para a Chapecoense e o empate entre Figueirense e Coritiba, um empate era suficiente para que os gaúchos colocassem a cabeça para fora d´água. O toque de mão na bola de Eduardo já na reta final da partida, entretanto, custou a saída do Z-4. O Inter, com 33 pontos, segue em 17º, e encara o Flamengo, domingo, às 17h (de Brasília), no Beira-Rio, pressionado. Já o Botafogo pulou para a quinta colocação, com 47 pontos, e seca Fluminense e Atlético-PR na quinta-feira para seguir no G-6. Domingo, o compromisso é novamente em casa, diante do Atlético-MG, também às 17h.

O empate para o Internacional seria heroico porque o Botafogo não costuma perder pontos no Luso Brasileiro. Até então somava quatro vitórias, um empate e uma derrota.

PRIMEIRO TEMPO DE MARASMO                                                                                Um Botafogo sem pressa diante de um Internacional sem motivos para se expor por conta da situação delicada que vive na tabela. Pode parecer até clichê, mas o jogo na Ilha do Governador começou com as duas equipes se estudando. E como! Até os 30 minutos, praticamente nada aconteceu. Ou melhor, nada aconteceu além de falta para um lado, passe errado para o outro. Aí, Dudu Cearense decidiu arriscar de fora da área. Enfim, uma boa finalização, que deu início a um lá e cá interessante na reta final. Carli, Valdivia, Vitinho e Neílton tentaram, mas a etapa inicial acabou mesmo sem gols.

ACORDARAM NO SEGUNDO                                                                                     Precisando vencer para dormir no G-6, o Botafogo mudou. Jair Ventura trocou o criticado Vinicius Tanque por Sassá, mandou o time para o ataque, mas o Inter seguia lá, fechadinho, sem dar muito espaço. De vermelho, Vitinho era praticamente um guerreiro solitário contra o ex-clube e levou perigo. Chute de longe, arrancada, trabalho para Sidão. Em casa, o Alvinegro se mandava para o ataque, abusava das bolas aéreas. Quando colocou no chão, resolveu. Sassá tabelou com Neílton, dividiu com Eduardo, que caiu e tocou a mão na bola. Pênalti muito contestado pelos colorados. Sassá cobrou e converteu. O Glorioso, enfim, entra na zona da Libertadores, e o Colorado agoniza no Z-4.

3

SASSARTILHEIRO                                                                                                 Preterido por Jair Ventura por ter voltado recentemente de lesão, Sassá começou a partida entre os reservas. Do banco, viu Vinícius Tanque errar quase tudo que tentou no primeiro tempo e descer para o intervalo criticado, e foi acionado para resolver. E resolveu. Em 45 minutos, deu mais intensidade ao Botafogo, foi responsável pela jogada do pênalti e cobrou com categoria. Danilo Fernandes de um lado, bola no outro. Foi o 11º gol do artilheiro do Brasileirão ao lado de Gabriel Jesus e Robinho.

TENTOU DE TUDO, O COLORADO                                                                           Vitinho não poupou esforços contra o ex-clube. Inquieto, foi, de longe, quem mais tentou levar o Internacional ao triunfo. Arriscou muitos chutes de fora da área, obrigou Sidão a fazer grande defesa após jogada individual, não fugiu de divididas, mas não foi suficiente. Herói na vitória sobre o Coritiba, há uma semana, o atacante não conseguiu tirar o Colorado da zona de rebaixamento. Ao deixar o gramado, não escondeu a irritação com o pênalti que decidiu a partida: “Foi roubo!”, bradou.

 

Comentários

comentários