Em dois dias, Santa Casa deixará de fazer 24 cirurgias

Quase 400 médicos que atendem na Santa Casa de Campo Grande estão em greve desde a quinta-feira (22). O motivo é a falta de pagamento dos salários que deveria ter ocorrido no dia 10 de outubro.

De acordo com o presidente do hospital, Wilson Teslenco, o pagamento não foi realizado devido à dívida de R$ 13 milhões que a prefeitura tem com a Santa Casa. “Desse valor, R$ 7,5 milhões são referentes aos meses de junho, julho e agosto deste ano. Em setembro os médicos não receberam o salário integralmente”, relatou. “A distribuição dos materiais de trabalho também estão ameaçados. Se o pagamento não for realizado, em breve os fornecedores não entregarão os produtos”, explicou. O presidente também relatou que alguns materiais tiveram que ser comprados de outros fornecedores, já que o pagamento dos atuais foram feitos pela metade, o que gerou um gasto de aproximadamente 40% a mais.

Santa Casa aguarda posicionamento da prefeitura. Foto: Kerolyn Araújo
Santa Casa aguarda posicionamento da prefeitura. Foto: Kerolyn Araújo

Ontem, 64 atendimentos ambulatoriais foram suspensos, além de 15 cirurgias. Para hoje, a previsão é que 201 pessoas deixem de ser atendidas e 9 cirurgias que não serão realizadas. Os pacientes que já estão internados e aguardando cirurgia receberão atendimento. Ainda de acordo com o presidente da Santa Casa, os pacientes que já estavam com procedimentos agendados serão priorizados quando os serviços forem retomados.

Segundo a administração do hospital, já foram realizadas reuniões com gestores da prefeitura, mas nenhuma solução para o problema foi apresentada. Outra reivindicação do hospital é que um novo contrato seja firmado, já que desde o dia 8 de setembro a Santa Casa está prestando serviços ao município sem qualquer vínculo contratual.

Em nota, a Prefeitura Municipal de Campo Grande afirmou que desde que o prefeito Alcides Bernal (PP) assumiu à administração da Capital, os repasses para a Santa Casa estão sendo feitos em dia. “A dívida também é relativa aos meses anteriores. A dívida não é do prefeito que foi afastado, mas sim da prefeitura, independente de quem tenha assumida”, relatou Teslenco.

Confira na íntegra a nota divulgada pela prefeitura:

A administração do prefeito Alcides Bernal esclarece que desde que reassumiu está rigorosamente em dia com os repasses para a Santa Casa.

Esclarece ainda que nos meses de setembro e outubro foram repassados R$ 30.820.590,42, sendo recursos do SUS na ordem de R$ 27.570.590,42 e recursos municipais na ordem de R$ 3.250.000,00.

Em outubro, já foi realizado o pagamento chamado pré-fixado no valor de R$ 16.048.103.83. O pagamento chamado pós-fixado aguarda o fechamento da produção pelo Ministério da Saúde para ser efetivado. A programação é de cerca de R$ 2.920.000,00 para a data de 28/10/2015.

Dentro do montante repassado há o valor de R$ 4.710.000,00 que a prefeitura adiantou e o Estado ainda não repassou para o município.

Em relação à divida encontrada, a mesma está sendo auditada para a certificação do valor, que gira entre R$ 10 e R$ 14 milhões.

A administração municipal, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, reforça que nenhum cidadão ficará sem atendimento médico, pois o fluxo de atendimento ambulatorial e de cirurgias eletivas será reorganizado.

Kerolyn Araújo

Comentários

comentários