Em discussão na AL: Deputados debatem colapso na saúde e gravidade da situação econômica em MS

Nessa quinta-feira (18), nas explicações pessoais, momento final da sessão ordinária, os deputados demonstraram preocupação com a situação da saúde e economia de Mato Grosso do Sul e discutiram sobre possíveis programas e investimentos necessários por parte do governo. As várias consequências interligadas à crise do Covid-19 foram abordadas durante o debate.

Foto: Luciana Nassar

Cabo Almi (PT) falou sobre a dificuldade das pessoas em pagar as contas de energia elétrica, devido o agravamento da situação econômica das famílias sul-mato-grossenses. O deputado, com a concordância dos demais presentes, definiu a necessidade de fazer um requerimento à Energisa, para que as cobranças sejam suspensas durante o período da pandemia, e que as pessoas não tenham seus nomes negativados devido ao atraso de pagamento.

Pedro Kemp (PT) destacou o problema da fome, afirmando que em muitas casas falta do básico para a sobrevivência. Ele indicou que a Mesa Diretora faça um requerimento ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul para que retome o Programa de Segurança Alimentar, com a distribuição de cestas básicas a pessoas em situação comprovada de vulnerabilidade. Ainda, frisou ser importante a redução de impostos como o ICMS em relação a produtos como leite, carne e cereais.

Em defesa dos pequenos empresários, Eduardo Rocha (MDB) se manifestou afirmando que será preciso que “o governo estenda a mão” também para esses empreendedores, com ações como a abertura de linhas de crédito.

Lidio Lopes (PATRI) destacou que as medidas restritivas a atividades econômicas estão sendo necessárias, pois muitas pessoas ainda não estão conscientizadas e continuam formando “aglomerações” em bares. Ele frisou que “o sistema está colapsado” e que “um dos grandes problemas é material humano, médicos e enfermeiros que já não querem continuar nesta luta, vendo tantos colegas morrendo”.

Os deputados Mara Caseiro (PSDB) e Professor Rinaldo (PSDB) também lamentaram todas as dificuldades do momento, e afirmaram a necessidade de união dos estados e Governo Federal no enfrentamento de todos os problemas causados pela pandemia.