Em crimes: ex-namorado processado espanca jovem descoberta fugitiva da Justiça

Lúcio Borges

Um crime não justifica outro, mas um jovem de 25 anos, ex-namorado, ao cometer o seu novo crime de violência domestica contra a então namorada, entre a noite de ontem e a madrugada desta segunda-feira (10), mostrou ser um “fora da lei” no ramo da violência e que a então jovem de 32 anos espancada violentamente, foi descoberta uma fugitiva da justiça/prisão. A mulher foi socorrida na madrugada de hoje, após apanhar muito do rapaz, no bairro Aero Rancho, região sul de Campo Grande. O espancamento foi tamanho que a moça não conseguia falar com Guardas Municipal, que atenderam uma denuncia de vizinhos que acionaram as forças policiais. Contudo, o rapaz que já responde por um homicídio, fugiu da casa, com a chegada dos GMs.

A vítima foi levada para o Centro Regional de Saúde do Aero Rancho, mas ela precisou ser transferida para a Santa Casa por conta da gravidade dos ferimentos. que foram feitos por volta das 2 horas, quando os GMs foram acionados para atender um caso de violência doméstica. No endereço apontado por testemunhas, eles encontraram o portão fechado, mas perceberam o momento em que um homem pulou o muro dos fundos para fugir. Os guardas municipais então entraram na casa e encontraram a vítima trancada no banheiro, com ferimentos no rosto e em estado de choque.

De acordo com Bo (Boletim de Ocorrência), a mulher não conseguia falar com guardas e foi imediatamente levada para a unidade de saúde. Depois de receber o primeiro atendimento, em virtude a gravidade dos ferimentos, a vítimas foi transferida para a Santa Casa por uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Antes de ser levada para o hospital, a vítima conseguiu contar que o autor das agressões contra ela era o ex-namorado, de 25 anos. O suspeito, já identificado pela polícia, responde pelo homicídio contra um interno da Gameleira em 2014. O crime aconteceu no pátio do presídio no dia 30 de novembro e teria sido motivado por vingança.

O caso foi registrado e será investigado pela Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) como lesão corporal dolosa (violência doméstica).

Crime dele, revelou o dela

A mulher sofreu a grave violência, e também outro revês, tentando mentir, mas acabou por ser descoberta como foragida do sistema prisional. Segundo a Guarda Municipal, na unidade de saúde, ela se apresentou como a irmã dela. Foi pelo nome da mãe e com ajuda de uma testemunha, que os servidores conseguiram a verdadeira identidade da vítima. Eles constataram ainda que ela estava com um mandado de prisão por evasão do presidio feminino de Campo Grande.

Em 2010, a mulher havia sido presa por tráfico, em operação da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) que desarticulou uma quadrilha responsável pela distribuição de drogas nos presídios da Capital. Após receber atendimento na Santa Casa, ela foi liberada e escoltada pela guarnição até a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga, onde ficou presa.

Agora deve ser mantida em uma cela da 2ª Delegacia de Polícia Civil até ser levada para o presídio feminino.

Comentários