Em ato no Planalto, Torquato Jardim toma posse como ministro da Justiça

G1/JN

Ex-ministro da Transparência, advogado assume comando da pasta no lugar de Osmar Serraglio (PMDB-PR), demitido por Temer

O presidente Michel Temer deu posse nesta quarta-feira (31), em cerimônia no Palácio do Planalto, ao novo ministro da Justiça, Torquato Jardim. A nomeação já foi publicada no “Diário Oficial da União”.

O novo ministro da Justiça, Torquato Jardim, ao discursar no Palácio (Foto: G1)

No discurso, Temer pediu que deixem os poderes Executivo e Legislativo trabalhar “em paz” e o Judiciário, “sossegado”.

Ex-ministro da Transparência, Torquato assume o comando da pasta no lugar de Osmar Serraglio (PMDB-PR), demitido do cargo no último fim de semana.

Deputado federal, Serraglio decidiu retomar o mandato na Câmara ao rejeitar o convite de Temer para assumir a Transparência.

À frente do Ministério da Justiça, Torquato Jardim será o responsável, por exemplo, pela Polícia Federal; pela Força Nacional de Segurança; pelo Depen (Departamento Penitenciário Nacional); pela política de demarcação de terras indígenas; e pelo Plano Nacional de Segurança Pública.

Discurso de posse

Em um breve discurso de posse, Torquato Jardim disse que o Brasil não é um “país para principiantes”. Sem entrar detalhes, acrescentou que o desafio é encontrar “homogenia na heterogeneidade”.

“Um ou outro são barreiras no atraso. Afinal, o velho está morto, mas o novo não consegue nascer”, declarou.

Torquato Jardim afirmou, ainda, que, “no Brasil, o otimista pode estar equivocado, mas o pessimista está sempre errado” e citou episódios de crescimento econômico no país nas últimas décadas.

O novo ministro disse também que terá pela frente desafios em “solo fértil” em razão da variedade de assuntos sob a responsabilidade do Ministério da Justiça.

Por fim, ele citou a política de demarcação de terras indígenas e defendeu a integração social de presos.

Comentários