Em áudio, Eduardo Costa exige privilégios de sua cidade por ser famoso

Um áudio vazado mostra o cantor Eduardo Costa reclamando por telefone com uma funcionária municipal da região de Capitólio, em Minas Gerais, que a prefeitura não estaria aceitando comprar uma casa para ele nem contratar seguranças para resguardar sua residência. O áudio foi divulgado pelo jornalista Leo Dias no programa Fofocalizando, do SBT.

O cantor começa dizendo que tem muito prazer em viver na região, mas que se sente desvalorizado pelas prefeituras locais. Ao reclamar da segurança, ele relata que já teve pessoas que invadiram sua casa e que a prefeitura “não forneceu nem os seguranças para ficarem na porta da gente”.

As reclamações não param por aí. Ele diz que tem dificuldade para comprar uma casa na região pois, segundo ele, os vendedores cobram mais quando descobrem que ele é o comprador.

“A prefeitura nunca me auxiliou, prefeito nenhum nunca chegou e falou: ‘Olha, Eduardo, vamos arrumar uma casa top para você, vamos arrumar um preço mais bacana para você’”, reclama.

Em sua visão, ele dá muita visibilidade para a região e isso potencializa o turismo. Sendo assim, ele considera que a prefeitura deveria beneficiá-lo como contrapartida: “Eu preciso que as pessoas me auxiliem e eu tenho o maior prazer de ajudar a região de Furnas, de Escarpas [do Lago], mas eu preciso que essas pessoas me auxiliem”.

“Se esse povo se unisse e dissesse: ‘Vamos comprar uma casa para o Eduardo aqui, vamos dar um negócio top aqui, eles poderiam se juntar para me ajudar, mas ninguém quer fazer”, confessa.

Eduardo termina fazendo uma confissão à funcionária pública: a prefeitura de Florianópolis já teria oferecido uma cobertura para ele se mudar de Minas Gerais.

“Eu ganhei da Prefeitura de Florianópolis, do prefeito e de uma construtora, uma cobertura de frente para o mar, só que eu vou ter que morar lá por quatro anos, frequentar lá, fazer os programas de televisão lá porque eles querem turismo e eu posso levar isso para Escarpas [do Lago] também, só que eu preciso que me ajudem”.

 

 

Comentários