Edil fica como líder na Câmara até que Olarte encontre substituto

O vereador Edil Albuquerque (PMDB) concedeu na manhã desta terça-feira (26), entrevista ao programa Tribuna Livre, da Capital FM, para falar sobre sua saída da função de líder na Câmara da base aliada do prefeito Gilmar Olarte (PP), na administração municipal de Campo Grande.

DSC_0082
Albuquerque explicou sua saída da liderança da base de Olarte na Câmara, em entrevista ao Página Brazil – Foto: Silvio Ferreira

Durante a entrevista, Edill anunciou que depois de conversa particular com o prefeito, que prefere trabalhar junto da geração de emprego e de fomento da iniciativa privada no município, como em sua atuação anterior frente à Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e Agronegócio).

Edil disse que pretende permanecer na liderança da base aliada da gestão Olarte até que o prefeito encontre um substituto, mas desabafou que “essa atribuição é uma coisa complicada, principalmente em um momento de paralisações de médicos, professores”. “É uma situação estafante”.  Albuquerque afirmou que prefere contribuir como vereador e destacou o processo de atração de 84 empresas para a Capital, de investimentos no FCO (Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Centro-Oeste) e a geração de 8 mil empregos, do qual teria participado na Câmara.

Edil disse que “não é homem de abandonar o barco” e que não está saindo da função em decorrência de pressão interna do PMDB. Ele defendeu Olarte, dizendo que “o PMDB não pode abandonar um prefeito que está livrando-se de todas as denúncias feitas contra ele e o partido não pode abandonar a gestão que inclusive dá ao partido, todo o espaço, até por respeito à Campo Grande. Não acredito que isso será uma atitude generalizada do partido, pelo menos agora, em que não estamos enfrentando um período de disputa eleitoral.”, afirmou.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários