E o raio caiu de novo! Galo bate Colo-Colo e avança na Libertadores

O raio caiu pela quinta vez no mesmo lugar. O Atlético-MG precisava de uma vitória por dois gols de diferença para se classificar. Com toda o drama que já ficou conhecido nos compromissos decisivos do Galo, a equipe superou o Colo-Colo por 2 a 0 e se classificou para as oitavas de final da Copa Libertadores. Vitória justa para o time do “eu acredito” que mais buscou o triunfo em todo o jogo.

Conforme era esperado, o Atlético começou a partida controlando totalmente as ações, embora a intensidade oscilasse nos primeiros minutos. Principal responsável pela criação, Guilherme teve dificuldades, já que na maioria das vezes estava de costas para a marcação do adversário. Sobrou entrão para Patric, bastante questionado no último jogo pela Libertadores, resolver a situação. O lateral participou da jogada que terminou no gol de Lucas Pratto, em batida cruzada para inaugurar o marcador logo no início.

A chuva, que até então não prejudicava o jogo, aumentou e complicou o rolar da bola no Independência. Com o Colo-Colo fechado, o Atlético buscou as jogadas pelos lados, enquanto os chilenos suportavam a pressão e tentavam cadenciar a partida nas poucas e rápidas vezes em que ficavam com a bola. O Atlético ainda reclamou de dois pênaltis não assinalados por Carlos Vera. Sem nenhuma outra novidade, os jogadores foram para o vestiário aos gritos de “eu acredito” que chegavam da torcida.

A pressão continuou na segunda etapa, ao contrário da chuva, que deu um tempo. O Atlético, no entanto, já dava sinais de desespero em alguns lances, o que gerou tentativas frustradas e precipitadas no setor ofensivo. Aos 22 minutos, Luan sofreu pênalti do goleiro Garcés, mas o arqueiro adversário segurou a cobrança de Guilherme, aumentando ainda mais o drama alvinegro.

Sem se abater e com o apoio do torcedor, o Atlético continuou em cima, tendo ainda cerca de 20 minutos para buscar mais um gol. Novamente, quando tudo parecia não dar certo, Guilherme passou para Rafael Carioca, que soltou um foguete de fora da área, explodindo o Independência de alegria e classificando o Atlético.

Tijuana, Olimpia, Corinthians, Flamengo… Os raios não param de cair desde 2013 em Minas Gerais, seja na Copa Libertadores ou na Copa do Brasil. Méritos do guerreiro Falo e de sua torcida. Que venham as oitavas!

O raio caiu pela quinta vez no mesmo lugar. O Atlético-MG precisava de uma vitória por dois gols de diferença para se classificar. Com toda o drama que já ficou conhecido nos compromissos decisivos do Galo, a equipe superou o Colo-Colo por 2 a 0 e se classificou para as oitavas de final da Copa Libertadores. Vitória justa para o time do “eu acredito” que mais buscou o triunfo em todo o jogo.

Conforme era esperado, o Atlético começou a partida controlando totalmente as ações, embora a intensidade oscilasse nos primeiros minutos. Principal responsável pela criação, Guilherme teve dificuldades, já que na maioria das vezes estava de costas para a marcação do adversário. Sobrou entrão para Patric, bastante questionado no último jogo pela Libertadores, resolver a situação. O lateral participou da jogada que terminou no gol de Lucas Pratto, em batida cruzada para inaugurar o marcador logo no início.

A chuva, que até então não prejudicava o jogo, aumentou e complicou o rolar da bola no Independência. Com o Colo-Colo fechado, o Atlético buscou as jogadas pelos lados, enquanto os chilenos suportavam a pressão e tentavam cadenciar a partida nas poucas e rápidas vezes em que ficavam com a bola. O Atlético ainda reclamou de dois pênaltis não assinalados por Carlos Vera. Sem nenhuma outra novidade, os jogadores foram para o vestiário aos gritos de “eu acredito” que chegavam da torcida.

A pressão continuou na segunda etapa, ao contrário da chuva, que deu um tempo. O Atlético, no entanto, já dava sinais de desespero em alguns lances, o que gerou tentativas frustradas e precipitadas no setor ofensivo. Aos 22 minutos, Luan sofreu pênalti do goleiro Garcés, mas o arqueiro adversário segurou a cobrança de Guilherme, aumentando ainda mais o drama alvinegro.

Sem se abater e com o apoio do torcedor, o Atlético continuou em cima, tendo ainda cerca de 20 minutos para buscar mais um gol Novamente, quando tudo parecia não dar certo, Guilherme passou para Rafael Carioca, que soltou um foguete de fora da área, explodindo o Independência de alegria e classificando o Atlético.

Tijuana, Olimpia, Corinthians, Flamengo… Os raios não param de cair desde 2013 em Minas Gerais, seja na Copa Libertadores ou na Copa do Brasil. Méritos do guerreiro Falo e de sua torcida. Que venham as oitavas!

ATLÉTICO-MG 2×0 COLO-COLO

Motivo: 6ª rodada, grupo 1 da Copa Libertadores
Data/Hora: 22/04/2015, às 19h45 (de Brasília)
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Carlos Vera (EQU)
Assistentes: Christian Lescano (EQU) e Carlos Herrera (EQU)
Gols: Lucas Pratto, 18’1ºT (1-0), Rafael Carioca, 34’2ºT (2-0)
Cartões amarelos: Luan, Jemerson (CAM), Cáceres, Paredes (COL)
Cartão vermelho: Não teve.
Público/Renda: Ainda não divulgados.

ATLÉTICO-MG: Victor; Patric, Edcarlos, Jemerson e Douglas Santos; Rafael Carioca, Dátolo, Luan e Guilherme; Carlos (Maicosuel – 28’2ºT) e Lucas Pratto. Técnico: Levir Culpi.

COLO-COLO: Garcés; Rodríguez, Vilches, Céceres, Luis Pavez (Flores – Intervalo); Barroso, Fierro, Baeza, Esteban Pavez; Emiliano Vecchio e Paredes. Técnico: Héctor Tapia.

LANCEPRESS

Comentários

comentários