“É muito preocupante”, diz coordenadora pedagógica sobre suicídios entre crianças e adolescentes

Setembro amarelo, mês dedicado à realização de ações preventivas ao suicídio. Sobre esse assunto, a coordenadora pedagógica Ana Cristina do Nascimento, foi enfática e objetiva ao dizer que “é muito preocupante”, os altos números de casos e de relatos de suicídio, especialmente entre crianças e adolescentes, com idades entre 8 a 17 anos.

Em entrevista ao vivo no Tribuna Livre, nesta terça-feira (17), Ana Cristina disse que aborda, em seu trabalho, a pedagogia afetiva. A ideia é aproximar, trazer para perto mesmo, a criança e o adolescente que demostram comportamentos diferentes, principalmente nas relações interpessoais.

Com olhar atento à observação, a coordenadora disse a porta da sua sala tem acesso livre a quem precisa. “Trabalhamos a confiança”. A profissional de educação também explicou que a participação da família é fundamental nesses casos.

O momento de transição da fase infantil para a adolescência e, à vida adulta, costuma chegar carregadas de responsabilidades que, nas concepção de Ana Cristina, o jovem ainda não se sente pronto para assumir e, por isso, surge a dificuldade em saber lidar com pressão e acabam se afastando.

“Hoje o jovem tem uma formação escolar maior do que da nossa época, no entanto, enfrenta picos de tristeza, mas não pode deixar algo assim ser determinante”, reforçou.

Comentários