“É campeão”: chapecoenses enchem estádio para homenagear vítimas

O clima de luto e emoção enchem a cidade e o estádio da Chapecoense desde as primeiras horas desta terça-feira. Familiares de jogadores e torcedores – cerca de 10 mil pessoas – se misturaram em meio a homenagens, preces e também gritos de “é campeão”, que vinha das arquibancadas.

Torcida da Chapecoense acende luzes de celulares em momento de fé no estádio (Foto: Globo Esporte)
Torcida da Chapecoense acende luzes de celulares em momento de fé no estádio (Foto: Globo Esporte)

O estádio em Chapecó virou ponto de encontro da população de quase 200 mil habitantes no interior de Santa Catarina. Muitas lágrimas e rezas – com presença de um pastor – marcam o início da noite na arena do time catarinenses. No sistema de som, o locutor passa informações – por exemplo, que equipe de médicos e diretores do clube estão a caminho de Medellín para a liberação de corpos – para o público que fez caminhada até o estádio da Chapecoense.

Nas cadeiras do estádio, torcedores cantam o nome de todos os jogadores falecidos. Os familiares de Gimenez, lateral que está entre os 71 mortos do avião, se abraçavam no meio do gramado antes da formação de um enorme círculo de amigos e de torcedores da Chapecoense.

Na noite desta quarta-feira, no horário do jogo, novamente centenas de torcedores vão se reunir no estádio para fazer vigília no estádio da Chapecoense.

A tragédia que comoveu o mundo esportivo, o país e o mundo aconteceu nesta madrugada de terça-feira. O avião que levava a delegação da Chapecoense, convidados e jornalistas para o primeiro jogo da final da Sul-Americana perdeu sinal com a torre do aeroporto José María Córdova, em Medellín. A queda ocorreu por volta de 22h (horário local, por volta de 1h no horário de Brasília). Morreram 71 pessoas entre atletas, membros do departamento de futebol, diretoria, convidados, jornalistas e tripulação. Seis pessoas sobreviveram.

Confira as informações completas, nome a nome, logo abaixo.- Luciano Buligon, prefeito de Chapecó (SC);
– Plínio David de Nes Filho, presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense;
– Gelson Merisio (PSD), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc);
– Ivan Carlos Agnoletto, jornalista da rádio Super Condá, de Chapecó.

O nome dos passageiros do voo (com os seis sobreviventes):

Imprensa:
Victorino Chermont
Rodrigo Gonçalves
Devair Paschoalon
Lilacio Júnior
Paulo Julio Clement
Mario Sergio Paiva
Guilherme Marques
Ari Júnior
Guilherme Laars
Giovane Klein
Bruno Silva
Djalma Neto
André Podiacki
Laion Espindula
Rafael Henzel (sobrevivente)
Renan Agnolin
Fernando Schardong
Edson Ebeliny
Gelson Galiotto
Douglas Dorneles
Jacir Biavatti

Diretoria:
Nilson Folle Júnior
Decio Burtet Filho
Edir de Marco
Ricardo Porto
Mauro dal Bello
Jandir Bordignon
Dávi Barela Dávi
Convidados da delegação:
Delfim Peixoto Filho
Comissão técnica:
Caio Júnior
Duca
Pipe Grohs
Anderson Paixão
Anderson Martins
Dr. Marcio
Gobbato
Cocada
Serginho
Adriano
Cleberson Silva
Maurinho
Cadu
Chinho di Domenico
Sandro Pallaoro
Cezinha
Giba
Atletas:
Danilo
Gimenez
Bruno Rangel
Marcelo
Lucas Gomes
Sergio Manoel
Felipe Machado
Matheus Biteco
Cleber Santana
Alan Ruschel (sobrevivente)
William Thiego
Tiaguinho
Neto (sobrevivente)
Josimar
Dener Assunção
Gil
Ananias
Kempes
Follmann (sobrevivente)
Arthur Maia
Mateus Caramelo
Aílton Canela

Tripulação:
Miguel Quiroga
Ovar Goytia
Sisy Arias
Romel Vacaflores
Ximena Suarez (sobrevivente)
Alex Quispe
Gustavo Encina
Erwin Tumiri (sobrevivente)
Angel Lugo

Comentários

comentários