Dunga testou Ricardo Oliveira entre os titulares em treino fechado da Seleção

Ricardo Oliveira durante treino da seleção brasileira (Foto: MoWa Sportes)
Ricardo Oliveira durante treino da seleção brasileira (Foto: MoWa Sportes)

Ninguém viu, mas Ricardo Oliveira foi testado na equipe titular durante os treinos e poderá ser a surpresa da seleção brasileira na partida da noite desta terça-feira, contra a Venezuela, em Fortaleza.

O centroavante foi escalado no lugar de Hulk em pelo menos uma das atividades fechadas realizadas na cidade.

Depois da derrota por 2 a 0 para o Chile, na estreia, Dunga fez algumas observações. Ricardo Oliveira, Filipe Luís, Lucas Lima e Lucas tiveram oportunidades.

No primeiro treino, realizado no estádio Presidente Vargas, aberto, o técnico não juntou o time inteiro em nenhum momento.

Porém, setorizou as tarefas, e desde então foi possível notar a presença de Filipe Luís na defesa, ao lado de Daniel Alves, Miranda e Marquinhos, e de Lucas Lima no setor ofensivo, junto a Willian, Douglas Costa e Hulk.

No domingo, em atividade no Castelão, palco da partida diante da Venezuela, Filipe Luís foi mantido, Oscar voltou ao time titular, e Ricardo Oliveira ganhou uma chance. Quando os jornalistas tiveram acesso, já na parte final, Oscar, Ricardo Oliveira e Willian já haviam sido trocados por Lucas Lima, Hulk e Lucas.

– Estamos treinando, testando. Temos que buscar as melhores opções, mudar taticamente uma característica, ver o que podemos introduzir, buscar alternativas e jogadores em melhores condições físicas, mas também temos que dar confiança. Não posso trocar a cada jogo – disse Dunga na entrevista coletiva da última segunda-feira, antes de novo treino fechado.

O técnico, sem citar nomes, também inocentou Oscar pelo fracasso da Seleção nos contra-ataques em Santiago. Na análise da comissão técnica, o Brasil teria vencido o Chile se tivesse aproveitado quando arrancou em velocidade contra poucos defensores adversários.

A maioria dos lances caiu nos pés do meia do Chelsea, que não finalizou nem conseguiu um passe preciso. Na visão de Dunga, a responsabilidade precisa ser dividida.

– Você tem que tomar uma decisão em segundos no contra-ataque. Houve lances em que era para chutar, mas em outros o cruzamento foi bem feito e faltou a diagonal do atacante. Tudo isso tem que ser analisado.

É preciso ter movimentação, outro tem que passar. Se fosse só um erro detectável, do que não chutou, seria muito fácil.

Quando Ricardo Oliveira entrou, já em desvantagem no placar, o Brasil ganhou presença de área. Depois de todos os testes, a escalação que os jornalistas viram e puderam deduzir é: Jefferson, Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias, Lucas Lima, Willian e Douglas Costa; Hulk.

Mas Ricardo Oliveira e Oscar podem entrar nos lugares de Hulk e Lucas Lima. Já o outro Lucas, do PSG, se entrar em campo, provavelmente será durante os 90 minutos. Dunga o vê como principal alternativa de velocidade para conseguir superar o rival.

Brasil e Venezuela se enfrentarão às 22h.

UOL

Comentários

comentários