Dunga busca líder em campo, e Renato Augusto pode assumir função

Quando era capitão da seleção brasileira, Dunga não poupava os companheiros das broncas em campo. Tudo para deixar a equipe sempre alerta. Uma postura que o agora técnico não vê mais na equipe nacional. Em participação no programa “Bem, Amigos!” antes do início da preparação para a Copa América Centenário, ele contou que vem pedindo aos jogadores  mais comunicação em campo.

Liderança de Renato Augusto é incentivada na Seleção (Foto: Globo Esporte)
Liderança de Renato Augusto é incentivada na Seleção (Foto: Globo Esporte)

– Desde o primeiro dia, eu e o Gilmar (Rinaldi, coordenador de seleções) estamos trabalhando insistentemente para que os jogadores tenham uma maior comunicação, uma maior cobrança. Não sei se é pela questão do que sai nas redes sociais ou nos jornais que eles ficam um pouco melindrados em chamar a atenção do companheiro, porque sai em tudo que é jornal. Estamos conversando com os jogadores que dentro do campo tem de ser cobrado, tem de haver uma cobrança mais forte. Depois lá fora a gente se acerta, sem nenhum problema. Mas isso não é do dia para a noite. Existe essa dificuldade – disse o técnico.

Neymar tem sido o capitão da Seleção sob o comando de Dunga, que já sinalizou mudança na função de líder em campo. Assim como no jogo contra o Paraguai, quando estava suspenso e Miranda assumiu a braçadeira, o atacante do Barcelona não vai participar da Copa América Centenário para ser liberado por seu clube para jogar as Olimpíadas. Um possível capitão é Renato Augusto.

– Vimos no jogo contra o Peru, que foi o primeiro do Renato Augusto, essa dose de alguém já com certa liderança, não apenas de chamar atenção, mas também de dar orientação – disse o comentarista Júnior.

– Exatamente. Não é a questão de xingar ou brigar. Precisa ter dois ou três jogadores para chamar a atenção para a equipe não ficar dispersa. Alguém tem que chamar para o plano tático, para o posicionamento. A vivência na Alemanha do Renato Augusto fez com que ele se preocupe um pouco no que a equipe tem de fazer. Ele é mais ligado em movimentação, nessas coisas – completou Dunga.

Coordenador de seleções, Gilmar Rinaldi afirmou que a liderança de Renato Augusto tem sido incentivada pela comissão técnica da Seleção.

– Percebemos isso e estamos tentando incentivar. Todo mundo acha que os jogadores precisam se cobrar mais, com respeito. É um alerta. O Dunga era o cara mais chato do mundo (em campo). Toda vez que você baixava a guarda, ele te lembrava. O jogador tem de saber que é para o bem dele. Isso se consegue com o tempo, com a convivência entre os jogadores – disse Gilmar.

Edição especial em comemoração aos 100 anos da competição, a Copa América Centenário será disputada entre 3 e 26 de junho nos Estados Unidos.

A Seleção começará os treinamentos em 23 de maio, em Los Angeles, e fará um amistoso com o Panamá, seis dias depois, em Denver. O Brasil está no Grupo B e vai enfrentar o Equador (4 de junho), o Haiti (8 de junho) e o Peru (12 de junho). (Globo Esporte)

Comentários

comentários