Dono de posições firmes, Diego Alves vai de solução a problema no Fla

Lancepress/JP

Na Gávea desde julho de 2017, Diego Alves tem 68 jogos pelo Fla Gilvan de Souza / Flamengo

Às vésperas da partida do Flamengo contra o Paraná, momentos antes do embarque para Curitiba, o goleiro Diego Alves, inconformado por ser opção a César, pede para não viajar com o elenco rubro-negro. A atitude, que caiu quase como uma bomba no grupo, que disputa o título do Campeonato Brasileiro, porém, não chegou a causar grandes surpresa internamente. O ato de indisciplina põe em xeque o futuro do goleiro que chegou para ser solução.

Dono de uma personalidade forte, algo conhecido desde os tempos de Europa, e cotado para defender o Brasil no Mundial na época em que chegou à Gávea, o camisa 1 rapidamente se tornou um dos líderes do vestiário e um dos nomes mais falantes dentro das quatro linhas – muito por conta dos posicionamentos sempre firmes, de sua experiência internacional e pelo seu profissionalismo.

Porém, ainda há lideranças mais consolidadas no clube do que o camisa 1. Por exemplo, quando Ricardo Lomba disparou contra o time após a eliminação na semifinal do Carioca, Diego, Réver, Juan e Júlio César que tiveram a palavra em reunião com o VP de futebol, que havia classificado a queda para o Botafogo como “vergonhosa” e dito que a equipe não poderia “correr menos que o rival”.

Por outro lado, o pedido de dispensa foi considerado um desrespeito com os companheiros e com a comissão técnica, pesando negativamente contra o goleiro em momento decisivo do ano. A reapresentação do elenco após a vitória sobre o Paraná – 4 a 0 no Durival Britto – acontece na tarde desta terça, no Ninho do Urubu, e é esperada uma retratação do camisa 1 diante do grupo.

Comentários