Dólar termina a semana em alta, ainda com incertezas sobre Trump

O dólar fechou em alta nesta sexta-feira (11), com a continuidade do nervosismo após a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos. A moeda chegou a se aproximar do patamar de R$ 3,50 durante o dia, mas fechou longe das máximas após intervenção do Banco Central no câmbio.

A moeda norte-americana avançou 0,92%, vendida a R$ 3,3923. Na semana, o dólar subiu 4,99% sobre o real.

A moeda chegou a bater R$ 3,4976 na máxima do dia, com alta acima de 4%, segundo a Reuters. A última vez que a moeda fechou acima de R$ 3,49 foi em 3 de junho, a R$ 3,5243.

Efeito Trump

A vitória de Trump na corrida à Casa Branca tem deixado os mercados financeiros globais temerosos, diante de suas posições mais radicais e imprevisibilidade. A preocupação é de que sua política econômica seja inflacionária e, assim, obrigaria o Federal Reserve, banco central norte-americano, a elevar os juros na maior economia do mundo, com potencial para atrair recursos aplicados em outros mercados, como o brasileiro, motivando, assim, uma tendência de alta do dólar em relação a moedas como o real.

Por isso, o dólar tinha novamente um dia de altas expressivas sobre outras moedas, como o peso mexicano.

Trump fez um discurso na quarta-feira considerado conciliador após sua vitória, diferentemente do estilo agressivo adotado em toda a sua campanha, o que reduziu um pouco o temor nos mercados financeiros.

Apesar disso, os investidores devem permanecer estressados até ter conhecimento do que de fato o presidente eleito vai conseguir colocar em prática das propostas radicais que anunciou em sua campanha, destaca a Reuters.

Comentários

comentários