Dólar fecha em alta nesta quinta e se aproxima de R$ 3,90

G1/JP

O dólar fechou em alta nesta quinta-feira (7) e se aproximou do patamar de R$ 3,90, em meio a maior cautela no cenário externo e com investidores de olho no cenário político local e na tramitação da reforma da Previdência.

A moeda norte-americana subiu 1,30%, vendida a R$ 3,8842. Na máxima do dia, chegou a R$ 3,9018. É o maior patamar fechamento desde 27 de dezembro do ano passado (R$ 3,8955).

A cotação da moeda acelerou a alta após o Banco Central Europeu (BCE) cortar as previsões de crescimento e inflação na região, e adiou para o próximo ano a sua primeira alta de juros pós crise. A autoridade também ofereceu aos bancos novas rodadas de empréstimos baratos.

A medida de estímulo já era prevista por agentes financeiros globais, mas os cortes nas projeções, com Mario Draghi, presidente do BCE, citando um “período de fraqueza contínua e incerteza disseminada”, foram uma surpresa, levando rendimentos de títulos do governo e o euro a caírem, segundo a Reuters.

De acordo com o operador de câmbio da Advanced Corretora, Alessandro Faganello, a fala de Draghi estressou o mercado, sobretudo o comentário de que os cortes nas previsões estão relacionados à desaceleração do crescimento global. “O estímulo já era esperado, mas os cortes de repente abrem uma discussão maior”, avaliou.

No panorama doméstico, cresce no mercado certa cautela com relação à reforma da Previdência em meio à ausência de notícias sobre a matéria, com o mercado monitorando os próximos passos da tramitação, como a instalação das comissões especiais na Câmara dos Deputados.

Na quarta-feira, o dólar encerrou a sessão em alta de 1,46%, a R$ 3,8342 – maior cotação de fechamento desde 28 de dezembro (R$ 3,8742).

Comentários