Dólar fecha em alta e se aproxima de R$ 3,90

G1/JP

O dólar encerrou a semana com alta, em dia de mercado cauteloso, de olho no cenário político e incertezas quanto à independência da Petrobras, após interferência do governo no reajustes do diesel.

A moeda norte-americana terminou o dia vendida a R$ 3,8883, em alta de 0,83%. Durante os negócios, chegou a ser cotada a R$ 3,9073. Veja mais cotações.

Na semana, o dólar acumulou alta de 0,44%. No ano, a valorização frente ao real é de 0,36%.

O presidente Jair Bolsonaro admitiu nesta sexta que telefonou para o presidente da Petrobras em razão do anúncio do reajuste do diesel,levando a estatal a recuar e manter o preço do combustível.

“Me surpreendi com o reajuste de 5,7%. Não vou ser intervencionista e fazer práticas que fizeram no passado, mas quero os números da Petrobras, tanto é que na terça-feira convoquei todos da Petrobras para me esclarecer porque 5,7% de reajuste quando a inflação desse ano tá projetada para menos de 5%”, afirmou.

A tramitação da reforma da Previdência também seguiu no radar dos investidores. Governistas querem votar a admissibilidade da reforma na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara já na próxima terça-feira, enquanto três deputados da oposição já apresentaram votos em separado questionando a admissibilidade da reforma.

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse nesta sexta-feira que a Previdência será colocada como primeiro item da pauta da CCJ no dia 17.

“Apesar da postura mais proativa de Jair Bolsonaro na defesa das reformas e do anúncio do projeto de lei complementar que trata da autonomia do Banco Central, a relação entre governo e Parlamento continua trazendo preocupações, com a PEC do Orçamento impositivo e a reforma tributária ganhando espaço, e colocando em xeque o foco na Previdência”, afirmaram analistas da Coinvalores em nota.

Parte dos agentes financeiros já precifica que a votação da admissibilidade na CCJ ficará para depois do feriado da Páscoa.

Ainda há forte cautela entre investidores pela notícia de que a Procuradoria Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma prorrogação de 60 dias do inquérito que envolve o presidente da Câmara.

Perícias feitas em sistemas da Odebrecht mostraram transferências no valor de R$ 1,45 milhão a pessoas identificadas por delatores como Maia e seu pai, o vereador carioca César Maia.

No exterior, há uma procura elevada por risco após dados divulgados mais cedo que mostraram recuperação nas exportações chinesas em março, amenizando temores de desaceleração econômica no país asiático.

O Banco Central vendeu o lote integral de 5.350 contratos de swap cambial tradicional ofertados nesta quinta-feira em operação de rolagem do vencimento maio. Em dez leilões neste mês, o BC já vendeu US$ 2,675 bilhões nesses contratos. O lote a expirar em 2 de maio é de US$ 5,343 bilhões.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui