DOF apreende mais de 20 toneladas de maconha entre Ponta Porã e Amambai

Da Redação

Policiais do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), apreenderam na tarde desta quinta-feira (18), na MS-386, entre Ponta Porã e Amambai, uma carreta graneleira carregada com 20 toneladas de maconha. O veículo era conduzido por um homem de 37 anos, natural de Santa Catarina.

Policiais do DOF realizavam ações da Operação Hórus, que é desenvolvida em Mato Grosso do Sul por meio de parceria entre a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e a Secretaria de Operações Integradas, do Ministério da Justiça, quando fizeram a abordagem do veículo e durante vistoria localizaram em meio a carga de milho diversos fardos de maconha.

O motorista foi preso e a carreta encaminhada para Dourados, onde a carga de milho foi descarregada em uma cerealista do município. A maconha que pesou 20 toneladas e 820 quilos foi apreendida, juntamente com o veículo e entregue na Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron).

Aos policiais do DOF o condutor da carreta disse ter conhecimento que em meio a carga de milho existia maconha e que pegou a droga em Ponta Porã para levar até o estado do Paraná, onde receberia a quantia de R$ 20 mil pelo transporte.

Aumento de mais de 336% nas apreensões

Com a apreensão desta quinta-feira, subiu para 41,3 toneladas o total de drogas apreendidas pelo Departamento de Operações de Fronteira neste ano. No mesmo período de 2020 foram 9,4 toneladas, o que representa um aumento de 336,5% nas apreensões de drogas do DOF em 2021.

Para o coronel Wagner Ferreira da Silva, diretor do DOF, o espantoso crescimento de apreensões de drogas na região de fronteira de Mato Grosso do Sul está diretamente ligado à pandemia do Coronavírus. “Acreditamos que com as restrições impostas pela pandemia houve aumento de consumo de drogas e consequentemente da demanda, além disso muitos paraguaios perderam seus empregos nesse período e acabaram migrando para roças de maconha existentes no país vizinho. Com mais gente trabalhando cresce a produção do tráfico e consequentemente as apreensões”, explica.

Segundo o diretor do DOF é atípico o aumento das apreensões de maconha nos três primeiros meses do ano, já que as safras de maconha normalmente costumam ser colhidas a partir do mês de abril.