Doador de medula óssea fica isento de taxa em concursos de MS

Sancionada pelo governador Reinaldo Azambuja, a Lei 4.827 permite a isenção ao doador de medula óssea do pagamento de taxas de inscrição nos concursos públicos realizados pela Administração Pública Direta, Indireta, Autárquica e Fundacional no Estado de Mato Grosso do Sul. A nova legislação foi publicada nesta terça-feira (15) no Diário Oficial do Estado e já está em vigor.

De acordo com o texto, os órgãos estaduais que realizarem concursos públicos deverão inserir, nos respectivos editais, normas expressas sobre a previsão do benefício e a sua forma de obtenção.

Ainda conforme a lei, o direito à isenção dependerá da comprovação da inscrição como doador, mediante documento fornecido pela entidade coletora oficial ou por esta credenciada. A lei aprovada pela Assembleia Legislativa é de iniciativa do deputado Rinaldo Modesto, líder do Governo na Casa de Leis.

DOADORA

A possibilidade de achar um doador de medula óssea entre pessoas não familiares é de 1 em 100.000. Embora difícil é possível. Depois de se cadastrar em uma campanha pelo Facebook em 2014, a servidora pública Vanessa Mansano, de Campo Grande, que há anos trabalha como secretária do ex-deputado Youssif Domingos e continua com ele na Agepan, foi informada que seu teste deu 100% de compatibilidade com um menino de 9 anos, morador de Instambul (Turquia), que sofre de leucemia.

Vanessa: aviso de compatibilidade e exames no Hospital do Câncer de Barretos
Vanessa: durante exames no Hospital do Câncer de Barretos

Depois de testes complementares no Hospital do Câncer de Barretos, Vanessa voltou no dia 27 de janeiro deste ano à cidade paulista onde os médicos fizeram a coleta. Os custos foram todos bancados pelo Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

“Fico muito feliz com essa lei, pois mostra sensibilidade dos deputados e do governador. Tudo que soma para o bem estar, salvar vidas deve ser comemorado”, comentou Vanessa .

Comentários

comentários