Disposto a correr riscos, Ayache sai do PT para realizar “novos projetos”

O presidente da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul), Ricardo Ayache declarou na manhã desta quarta-feira (19), ao portal de notícias Página Brazil as motivações que o levaram a desfiliar-se do PT (Partido dos Trabalhadores).

Ricardo Ayache, (Foto: Paulo Francis)
Ricardo Ayache, (Foto: Paulo Francis)

De acordo com Ayache, que atuou no partido durante 14 anos, a decisão foi muito discutida e trabalhada por muitas pessoas, e deu-se pela questão de incoerências e por práticas politicas adotadas nos últimos tempos que levaram um distanciamento do PT em relação aos anseios da população. “Isso dificultou muito o dialogo entre o partido, com a população brasileira e aqui no Mato Grosso do Sul não é diferente. Esses acontecimentos nos motivaram a tomar essa decisão e a buscar novos rumos para que possamos ampliar o debate com a população através de um dialogo franco e transparente, de modo que possamos encontrar as soluções para os problemas que a Capital e o Estado enfrentam”, disse.

Apesar de ser um possível candidato a prefeitura de Campo Grande nas eleições de 2016, ao ser questionado sobre o assunto Ricardo disse apenas a decisão deve ser tomada no momento certo, e no momento irá se dedicar a participar de debates com a população, lideranças das áreas de educação, cultura, economia e politica, afim de desenvolver um projeto consistente e amplo no setor de politicas públicas. “Discutir candidatura nesse momento eu acredito que seja muito precoce, pois o momento que passa o Brasil em uma crise econômica e politica, o momento no qual passa Campo Grande, em uma crise institucional grave, nós precisamos a bem da verdade é debater com a população o que ela deseja para o futuro e com certeza ajudar a construí-lo independentemente de candidatura, que é um cenário que deve ser avaliado no próximo ano”, ressalta.

Em relação a declaração feita pelo deputado federal Zeca do PT, de que ele estaria dando um tiro no pé ao desfiliar-se do partido, o presidente alegou que está em busca de um novo projeto e esta disposto a correr riscos “Eu respeito o deputado federal Zeca do PT, que tem uma bela história na politica do Mato Grosso do Sul, mas como eu não vivo de política eu posso correr os riscos de encontrar um novo projeto que esteja mais antenado aquilo que a população deseja” finaliza.

Paulo Francis

Comentários

comentários