Devastador, Palmeiras impõe novo massacre ao São Paulo no Parque

Sem expulsões e gol no início, Verdão marca dois gols em cada tempo e faz 4 a 0 no Tricolor de Osorio, que foi expulso

O São Paulo foi ao Allianz Parque neste domingo com a cartilha de Osorio nas mãos, na cabeça, na ponta da língua, de tanto que foi repetida na semana: não podemos tomar gol e ter jogador expulso no início, temos de ter concentração, não cair não pressão, etc. Memórias do Campeonato Paulista. Não adiantou. Não teve gol no início, apenas o técnico colombiano expulso por reclamação, mas houve novamente um Palmeiras superior, muito mais eficiente, igualmente devastador. Resultado: 4 a 0, com direito a outro olé, de novo com requintes de crueldade.

Jogadores do Palmeiras passaram por cima do São Paulo Foto Lancepress!
Jogadores do Palmeiras passaram por cima do São Paulo Foto Lancepress!

O Palmeiras marcou dois gols em cada tempo, sempre quando o adversário tinha mais posse de bola e parecia dominar o jogo – Pato, em lance antológico, acertou a trave após driblar três palmeirenses e Michel Bastos finalizou duas vezes antes dos gols. Com o resultado, o time se afasta da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro e ganha fôlego para o início de trabalho do técnico Marcelo Oliveira. De quebra, jogou um abacaxi para o rival.

O São Paulo não perdeu apenas a chance de voltar a ser líder com o novo chocolate sofrido no Allianz. Terá pela frente dias difíceis, agravados pela falta de pagamento dos direitos de imagem dos atletas, que se aproxima de quatro meses, e a turbulência no início de trabalho de Osorio. Tudo que ele menos precisava neste momento, quando vê seu elenco diminuído com três vendas recentes (Paulo Miranda, Rodrigo Caio e Denilson).

A goleada palmeirense veio sem desculpas desta vez, embora a efetividade verde tenha sido igualmente impressionante, como no Paulista. Dois gols no primeiro tempo, com Leandro Pereira e Victor Ramos, no gol norte, e um terceiro de Rafael Marques, no sul, já na segunda etapa. Tudo igual. Um Déjà Vu, replay, flashback, repeteco. Mas peraí: no Estadual, os torcedores palmeirenses alegaram que o time tirou o pé quando já tinha feito 3 a 0. Então, lá veio Cristaldo para aumentar a farra e levar os palmeirenses à loucura. Aos 26 minutos, o Verdão fez 4 a 0, com nova assistência de Egídio, que já tinha deixado Rafael Marques na cara de Ceni. O resto foi história…

Curioso notar que o São Paulo não jogou uma partida ruim, mas errou gols em momentos cruciais e permitiu espaços ao rival em momentos cruciais. Também sentiu as partidas ruins de Ganso e Michel Bastos, os principais criadores do time. O baque foi duro e não há mais tempo para recuperar. Na próxima quarta-feira, o time vai à Arena da Baixada, onde nunca venceu, encarar o Atlético-PR. Duro.

Já o Palmeiras tem nova chance de manter a boa fase, já que recebe a Chapecoense em casa. Destaque para a atuação compacta do time e a segurança na defesa, e a grande atuação de Egídio, a eficiência de Rafael Marques. E o time, que tinha feito um jogo “atípico” contra o rival no Paulista, começa a construir uma freguesia tricolor em sua casa. Com muita crueldade, diga-se de passagem…

FICHA TÉCNICA PALMEIRAS 4 X 0 SÃO PAULO

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 28 de Junho de 2015, às 16h (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa)
Auxiliares: Rogério Pablos Zanardo (Asp-Fifa) e Daniel Paulo Ziolli (Asp-Fifa)
Público/Renda: 29.233 pagantes/ R$ 1.989.100,00
Cartões amarelos: Bruno, Hudson, Rafael Tolói (SPO), Lucas (PAL)

GOLS: Leandro Pereira 31’/1T (1-0), Vitor Ramos 40’/1T (2-0), Rafael Marques 13’/2T (3-0), Cristaldo 26’/2T (4-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo, Egídio, Gabriel, Arouca, Robinho (Cleiton Xavier 31’/2T), Rafael Marques, Dudu (Gabriel Jesus 36’/2T) e Leandro Pereira (Cristaldo 14’/2T). Técnico: Marcelo Oliveira.

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Dória, Carlinhos, Hudson (Centurión 24’/2T), Souza, Ganso, Michel Bastos, Alexandre Pato (Thiago Mendes 29’/2T) e Luis Fabiano. Técnico: Juan Carlos Osorio.

LANCEPRESS!

Comentários

comentários