Primeiras semanas de 2017 registram 4 motoristas embriagados detidos por dia em MS

A balança de ocorrências de trânsito em MS está desfavorável, com apenas 16 dias do novo ano 68 casos de condutores bêbados, média de quatro por dia, foram registrado pela polícia do estado. Os dados foram apurados pelo PáginaBrazil.com no Sistema Integrado de Gestão Operacional (SIGO). Na semana passada foram registrado 40 casos de condutores bêbados e no último fim de semana, dos dias 14 e 15, 24 casos foram registrados em MS.

Ilustrativa – Reprodução

Chama atenção o fato de que dos 68 condutores embriagados detidos, apenas três eram mulheres. Os casos estão em maior parte no interior do estado, 83% das ocorrências foram registradas fora da capital. Em 2017 a cidade morena teve 12 registros de motoristas bêbados.

O segundo fim de semana do ano foi o que mais registrou casos. No sábado (14), 10 ocorrências do tipo foram registradas em Mato Grosso do Sul. A maioria delas espalhadas pelo interior do estado. Duas ocorrências foram registradas na capital e duas em Três Lagoas. Nova Andradina, Chapadão do Sul, Amambai, Rio Brilhante, Ivinhema e Dourados, tiveram um registro cada.

No dia seguinte, domingo (15), outros 14 casos foram registrados no sistema. Três ocorrências registradas em Campo Grande, duas em Naviraí, Dourados e Três Lagoas. Rio Brilhante, Amambai, Anastácio, Mundo Novo e Caracol, registraram uma ocorrência de condutor embriagado cada.

Lei Seca

A Lei Seca foi reforçada em março de 2012. O artigo 306 do Código de Trânsito Brasileiro que caracteriza o crime está assim escrito:

“Conduzir veículo automotor, na via pública, estando com concentração de álcool por litro de sangue igual ou superior a 6 (seis) decigramas, ou sob a influência de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência”

Como descrito na lei são necessárias 6 decigramas de álcool em um litro de sangue para que seja considerado crime de trânsito. O fato gerou polêmica no Brasil, pois o principal meio de averiguação de embriaguez no país é o bafômetro que examina o ar e  a lei dita o estado liquido da matéria (litro de sangue). No entanto a legislação leva em conta a Lei de Henry, que esclarece a solubilidade dos gases em líquidos, ou seja transforma liquido em gás e vice-versa.

Cálculo da lei de Henry: 1/2000: 0,3 mg x 2000 = 600 mg = 60 cg = 6 dg.

Com isso, no exame de sangue o limite é de 6 decigramas por litro de sangue, no bafômetro o limite é de 0,3 miligramas de álcool por litro de ar expelido.

Multa

(Foto: Ivan Silva)

A partir de 01 de novembro de 2016 as multas em todo o país ficaram mais caras. A multa gravíssima passou de R$191,54 para R$293,47.

Conduzir veículo sob efeitos de álcool gera multa gravíssima multiplica 10 vezes. Então o valor da multa para quem dirige embriagado é de R$ 2.934,70. Além de 7 pontos na carteira e suspensão do direito de dirigir.

Ranking

Mato Grosso do Sul tem a quarta maior taxa de mortes por acidentes de trânsito do país. É que aponta o relatório “Retrato da Segurança Viária”, desenvolvido pela Ambev e a consultoria Falconi. O levantamento faz o cruzamento de dados de vários órgãos e entidades relativos ao ano de 2014 e leva em conta no cálculo do indicador, o número de óbitos por 100 mil habitantes.

De acordo com o relatório, em 2014 o estado registrou 857 mortes por acidentes de trânsito, o que resultou em um taxa de 32,7 óbitos por 100 mil habitantes. O indicador foi superado apenas pelos números do Piauí, com 40,7, do Tocantins, com 39,6 e de Mato Grosso, com 37,4 e está bem acima da taxa nacional, que foi de 21,9.

Além disso, uma cidade do estado, Cassilândia, a 437 quilômetros de Campo Grande, registrou no ano a oitava maior taxa de mortes por acidentes de trânsito entre todos os municípios brasileiros, com 92,8 registros por 100 mil habitantes.

 

 

 

Comentários