Detento usa Facebook para comemorar fuga de presídio em Manaus

Foto Reprodução/Facebook

Um dos fugitivos do sistema do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), em Manaus, Brayan Bremer Quintelo Mota tem usado as redes sociais para comemorar a fuga e compartilhar com os seguidores a rotina de um fugitivo. A unidade é destinada a presos do regime semiaberto e fica ao lado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), onde ocorreu a rebelião com 60 mortos.

Brayan, que é condenado por tráfico de drogas, postou na noite de domingo um foto com o parceiro de fuga ainda não identificado comemorando com o texto “Fulga da cadeia”.

Na tarde desta segunda-feira, Brayan voltou a postar no Facebook uma foto, dessa vez com outros quatro jovens. Na legenda da imagem o presidiário escreveu “Deu jaca”. Na foto é possível ver que ele e os amigos estão comendo a fruta citada na legenda. A publicação foi apagada depois.

A primeira publicação permanece na página de Brayan e já alcançou 14 mil reações no Facebook. A foto tem ainda nove mil comentários e seis mil compartilhamentos.

APOIO AO MOTIM

Ao menos 87 detentos fugiram do Ipat antes do início da rebelião na tarde de domingo. Os números são da Secretaria estadual de Segurança Pública (SSP-AM). Até a manhã desta segunda-feira o comitê de crise ainda não havia fechado o número de fugitivos do Compaj.

Os foragidos do regime semiaberto, segundo titular da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Pedro Florêncio, deram apoio a rebelião antes da fuga.

Foto Reprodução/Facebook

— Eles deram apoio e repassaram as armas por um buraco na muralha que divide as unidades do semiaberto e do fechado. A fuga pode ter sido arquitetada para desviar o efetivo da polícia para o Ipat e dar aos presos do regime fechado espaço para iniciar a rebelião — explicou.

Ao menos 30 presos, segundo estimativa inicial da SSP-AM, já foram recapturados até a manhã de hoje. A estratégia da Secretaria de Segurança Pública é montar barreiras nas rodovias AM 010 e BR 174.

— Temos um plano para isso. O comitê prevê vários estágios de crise. Nós atingimos o primeiro estágio ontem. A nossa estratégia é de inteligência esta toda voltada para localizar os foragidos com barreiras móveis para interceptar e não deixar que eles se movimentem — explicou Fontes.

Uma das publicações de Brayan Mota após fugir do presídio – Reprodução/Facebook

 

Comentários