Descarte de 3,8 mil caçambas de lixo na Capital já tem destino

A determinação judicial que fechou o aterro do Jardim Noroeste contribuiu com a CG Solurb, que será responsável por 3,8 mil caçambas de lixo espalhadas por Campo Grande. A decisão foi tomada nesta terça-feira (17), após um pedido emergencial da prefeitura.

A empresa, que fará o processo de classificação e descarte adequado ao lixo, se comprometeu a solucionar o problema na Capital. Até sexta-feira, a Solurb deve realizar todo o serviço.

“A prefeitura acabou ficando responsável porque deixou transformar em um lixão uma área que não deveria ser destinada a isso. Recebemos a prefeitura com a interdição judicial e com empresários impedidos de depositar o entulho. Eles já haviam combinado um preço com o cliente e teriam que refazer todo o contrato. A prefeitura (antiga gestão) deu causa para que chegasse a este ponto e entendemos que temos o dever de assumir esta pendência. Porém, daí para frente, a responsabilidade é do gerador do resíduo”, explicou o secretário de Governo e Relações Institucionais, Antônio Lacerda.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, José Marcos da Fonseca,  a prefeitura vai cumprir a lei, multando quem não separar o lixo de maneira adequada. Os caçambeiros também devem ser fiscalizados,  em caso de transporte irregular do lixo.

A prefeitura também está trabalhando, em conjunto com a Solurb, para regularização dos pontos de apoio, também chamados de Ecopontos. Estes locais poderão receber até 1m³ deste material, geralmente transportado por carroceiros. “Acima deste total, o gerador tem que levar para os locais licenciados”, finalizou José Marcos. Atualmente, dois aterros têm licenciamento para receber entulhos e outros dois empresários já solicitaram licença para prestar o serviço.

 

Comentários