Desarmados para perícia guardas civis ficam em meio a fogo cruzado

Silvio Ferreira

O vereador André Salineiro (PSDB) apresentou durante a sessão desta terça-feira (11/07) da Câmara Municipal de Campo Grande, a reivindicação de quinze guardas civis municipais. Habilitados para o emprego de armas de fogo, os guardas tiveram os armamentos apreendidos para uma perícia após um incidente em que foram encontrados marcas de disparos contra a sede da Guarda Civil Municipal de Campo Grande. Desde então, eles têm efetuado rondas desarmados.

Segundo o vereador, os guardas alegam que os disparos contra o prédio já seriam antigos, mas mesmo assim, guardas que trabalharam na sede em determinado período investigado tiveram as armas apreendidas para o exame pericial que tentará identificar os autores dos disparos contra o prédio da instituição. Eles informaram ainda que têm trabalhado desarmados apesar de haver armamento disponível para a substituição temporária na Guarda Municipal.

Uma parte da Guarda Civil Municipal de Campo Grande já foi capacitada para o uso de armas de fogo – Foto: Arquivo

Os guardas citaram como exemplo da gravidade dessa situação, um caso ocorrido na noite dessa segunda-feira (10/07) em que uma unidade da Guarda Municipal tentou abordar dois suspeitos de tráfico drogas que ocupavam um veículo nas proximidades da praça Ary Coelho, no Centro. Com a aproximação, os suspeitos fugiram. Os guardas civis acionaram o Batalhão de Choque da Polícia Militar e, mesmo desarmados, perseguiram os suspeitos.

Na região do bairro Taquarussu os suspeitos teriam abandonado o veículo disparando contra os guardas civis e policiais militares que os perseguiam. Desarmados, os guardas ficaram impossibilitados de se defenderem. Os suspeitos tentaram fugir pulando muros de várias residências e um deles acabou baleado pelos policiais militares.

Levado ao Pronto-Socorro da Santa Casa, o suspeito baleado – que não portava documentos pessoais – não resistiu aos ferimentos. A polícia encontrou cocaína e R$ 500 no carro dos suspeitos e apreendeu uma arma. O segundo suspeito está foragido.

André Salineiro entrará em contato com a Secretaria para cobrar solução para o problema. Foto: Caroline Maldonado

Para o vereador André Salineiro esse caso demonstra que, os guardas civis municipais, devidamente treinados e habilitados para o porte e utilização de armas de fogo, não devem ser privados dos armamentos, que são instrumentos de trabalho para defesa da população e dos próprios guardas-civis.

O vereador informou que encaminhará um ofício à Secretaria Municipal de Segurança solicitando uma solução para o problema.

 

Comentários