Deputado cobra criação de CPI na Câmara por “sumiço” de milhões no IMPCG

Deputado-Coronel-David-ocupou-a-tribuna-para-fazer-denúncia-de-valores-contraditórios-sobre-as-contas-da-previdência-social-dos-servidores-municipaisO deputado estadual Coronel David (PSC), voltou a usar a tribuna da Assembleia Legislativa, durante sessão desta quarta-feira (10), para cobrar investigação sobre suposto sumiço ou má gestão de recursos previdenciário do IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande), na gestão de Alcides Bernal (PP). O parlamentar que é candidato a prefeito de Capital, que já atacou muito a administração municipal, hoje também criticou a posição da Câmara de Vereadores, que não fez nada para aprofundar a denuncia feita por ele. O vereador Chiquinho Teles (PSD) foi mencionado especificamente, por Cel. David, quando ratificou que já fez a ‘denuncia’ sobre a aplicação e destino incerto de pelo menos R$ 109 milhões, querendo respostas tanto da prefeitura, como da Câmara, mas se surpreendeu com o vereador alegando que não podem fazer nada, por que é momento de eleição,e que podem se prejudicar ou mesmo beneficiar o candidato prefeito Alcides Bernal.

“Não falo como candidato ou mesmo até agora posso falar, pois vou pleitear ser Prefeito e preciso saber de como está a situação da cidade no interior da administração. Mas, também como representante dos campo-grandenses e cidadão, quero explicações e elucidação da denúncia que fiz por fiscalização que procurei e depois recebi em outras denúncias, após eu tornar público. Quero entender para onde foram mais de R$ 109 milhões? Até hoje não foi explicado. Entrei com denúncias no Ministério Público Estadual e representação junto ao Tribunal de Contas do Estado. Os dois já abriram investigação. Também entreguei os dados à Câmara Municipal, a quem cabe originariamente fiscalizar as contas da administração municipal, mas que até o momento não fez nada”, disparou David.

O deputado atacou na tribuna os vereadores, depois minimizou nos bastidores sobre o discurso feito contra a Câmara da Capital, mas também cobrou a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito). “Lamento posicionamento do vereador Chiquinho Teles, em dizer ontem na tribuna do Legislativo da Capital, que não podem fazer uma investigação ou criar uma CPI, para não piorarem a situação da Casa ou fazer disso um palanque eleitoral para o prefeito e mesmo, se referindo a outros candidatos, como eu, que falou indireta ou diretamente. Mas fui eu que ‘descobri’, já há dois meses, e que culpa tenho eu, o servidor ou a população, que fui eu que denunciei e agora sou candidato. Ou, por eu, eles, nós estarmos em período eleitoral. Foi para isso, que eles, nós fomos eleitos para esperar um ‘melhor momento’ de cumprir funções e fiscalizar”, declarou David, que após comentou que “no minimo a declaração do vereador foi infeliz”.

No final de junho, o parlamentar havia feito tal denúncia na Assembleia, e nesta quarta-feira, cobrou da Câmara da Capital a instauração de uma CPI da Previdência, negando que seu pedido tenha cunho eleitoreiro. “Descobri (rombo) por acaso, ao investigar os problemas da cidade, coisa que eles -vereadores- deveriam fazer”, frisou o deputado, que diz ter ‘descoberto’ o caso analisando uma das edições do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande).

Prefeitura justifica

A gestão de Bernal nega irregularidades, e explica que houve utilização de recursos da previdência para pagamento de benefícios previdenciários. Em resposta, o diretor-presidente do IMPCG, Ricardo Balock, explicou que a diferença no caixa, apontada por David, acontece porque “as receitas oriundas de contribuições previdenciárias são insuficientes para os pagamentos das despesas previdenciárias, causando déficits financeiros, por conta de um aumento de 45,38% no número de aposentados de dezembro/2012 a abril de 2016, representando um aumento na folha dos inativos de 104,75%, nesse mesmo período”.

Comentários

comentários