Denúncias de violência contra a mulher aumenta 40% em MS

Delegada Titular da DEAM, Rosely Molina. (Foto: Paulo Francis)
Delegada Titular da DEAM, Rosely Molina. (Foto: Paulo Francis)

O número de denúncias de violências cometidas contra mulheres aumentou 40% este ano em Mato Grosso do Sul. De 1° de Janeiro a 15 de agosto de 2015 foram registados 4338 casos. Somente no mês de agosto foi feito mais de 5400 boletins de ocorrência e mais de 500 homens foram presos.

A delegada titular da DEAM(Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher), Rosely Molina atribui esse aumento principalmente a por meio da criação da “Casa da Mulher Brasileira”, onde as mulheres descobriram um espaço onde há uma integração de serviços. “Então a casa da mulher brasileira concentra além da Delegacia da Mulher, existente no Estado a mais de 30 anos, que é considerada a porta de entrada para as denuncias contra a violência, temos também o Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública, setor psico social e  geração de emprego e renda. Então são vários serviços integrados no mesmo lugar para dar o atendimento a mulher e isso fez com que elas se aproximassem ainda mais”, conta a delegada.

A lei Maria da Penha completou este anos 9 anos de atuação neste ano de 2015, e neste tempo houve um grande avanço no seu objetivo de atuação com diversas inovações. De acordo com Molina, uma das inovações é a medida protetiva de urgência, onde hoje assim que a mulher registra o boletim de ocorrência ela pode solicitar essa medida que faz com que o autor seja afastado do lar. “Essa lei é fantástica, e é considerada uma das três melhores leis do mundo, todo mundo conhece a Lei Maria da Penha, e de acordo com uma pesquisa 99% das pessoas a conhecem, mas o importante a dizer é que ela tem mecanismos de denuncia que antes não existiam e que vão dar ao profissionais mais qualidade no trabalho” frisa.

Rosely ressalta de que a Casa da Mulher Brasileira de Campo Grande é modelo, pois foi a primeira do Brasil, e a ideia do programa “Mulher Viver sem Violência”, desenvolvido pelo Governo Federal, e a meta é de construir uma casa dessa em cada estado da Federação. “Nós deixamos o recado para a mulher que tenha uma situação, ou um problema, que la acredite e ela saiba que outras mulheres vivem esse mesmo problema. Então pode haver uma solução para isso basta que ela tome coragem e procure ajuda. Todos nós somos entes de direito e nós temos que  fazer esse direito ser respeitado.

Se fala muito em direitos humanos, mas o praticar crime de violência doméstica é ferir o direito humano, é ferir o direito a dignidade de qualquer pessoa”, finaliza.

Serviço – A Casa da Mulher Brasileira fica localizada na Rua Brasilia, S/N, no Jardim Imá, próximo ao Aeroporto de Campo Grande. Denuncias também podem serem feitas através do número 180, que é reconhecido nacionalmente. A ligação é gratuita e a mulher não precisa se identificar, basta descrever os fatos.

Paulo Francis

Comentários

comentários