Moradoras tinham aluguel, água e luz pagos por traficante para venderem drogas

Um homem de 36 anos e duas mulheres de 20 foram presos ontem à noite (18) suspeitos de comandar um ponto de venda de drogas que funcionava no bairro São Jorge da Lagoa, em Campo Grande.

 

Durante depoimento, as duas mulheres disseram à polícia que apenas cediam a casa para o comércio criminoso mediante pagamento de aluguel e outras despesas.

De acordo com o registro policial, equipes do Batalhão de Choque da PM faziam rondas no bairro Coophavila II quando receberam a denúncia de um morador sobre o funcionamento de uma boca de fumo no bairro vizinho.

Com as informações, os policiais se deslocaram até a rua Serra Madri e fizeram campana em frente ao imóvel. No fim da noite, uma caminhonete Ford Ranger com três pessoas entrou e saiu da residência . O carro e os ocupantes eram iguais as descrições repassadas na denúncia.

Eles abordaram o veículo conduzido por Elwis Arantes Tobal, de 36 anos, e que tinha como passageiras as jovens Fernanda Alves Lacerda e Luana Barreira da Silva.

Elwis chegou a apresentar documentos falsos, mas acabou confessando o nome verdadeiro. Em buscas na casa, os policiais encontraram 24 tabletes de maconha e porções de cocaína.

Quando as jovens foram questionadas, elas afirmaram que Elwis pagava o aluguel e as despesas delas para que a residência fosse usada como ponto de venda de droga.

Elwis confessou o tráfico e afirmou que o entorpecente vinha de um paraguaio, mas não soube dizer o nome do fornecedor.

Os três foram presos em flagrante. A caminhonete, dinheiro, celulares, pulseiras e documentos foram apreendidos pelos militares.

Comentários

comentários