Delegado encerra Inquérito e indicia PM por morte em shopping

O delegado do 2º Distrito Policial de Dourados, Francis Flávio Tadano Freire, encerrou o Inquérito que apura a morte do bioquímico Júlio Cesar Cerveira Filho ocorrida no dia 8 de julho, na sala 1 do cinema do Shopping Avenida Center. O autor do disparo, policial militar Dijavan Batista dos Santos, 37, continua no Presídio Militar de Campo Grande.

Cabo da PMA foi autuado em flagrante por homicídio simples

O documento, segundo o Dourados News, teve acesso comprova que a discussão entre ambos foi ocasionada por uma poltrona específica.

“As imagens disponibilizadas pelo cinema ratificaram as provas testemunhais de que, antes do disparo, a vítima teria agredido fisicamente o autor”, diz trecho descrito no Inquérito.

Ao todo, o delegado ouviu 20 pessoas e durante as investigações, oito perícias e 13 diligências foram realizadas, porém, falta a confirmação se o tiro que saiu da arma do PM ocorreu de forma acidental. A perícia pediu prazo maior para apurar o fato específico.

O disparo que saiu da pistola calibre .40 do policial militar atingiu o peito de Júlio César e transfixou no pescoço. O socorro foi acionado e chegou rapidamente ao local, porém, o homem já estava morto.

A sala onde aconteceu o assassinato era ocupada por 81 pessoas, entre elas, crianças que vieram em excursão de Batayporã a Dourados para assistir ao filme ‘Homem-Aranha longe de casa’.

O indiciamento pelo crime de homicídio foi mantido. Na semana passada o juiz da Egliell Ricardo da Silva, da 3ª Vara Criminal, converteu em preventiva a prisão em flagrante de Dijavan.

O Inquérito Policial foi encaminhado ao Fórum. O processo foi colocado em sigilo.

Comentários