Delegado da ‘Lama Asfáltica MS’ comandará agora chefia da PF em MS

Lúcio Borges

O troca-troca do novo governo, até mesmo na então pouco mexida estrutura de comandos da PF (Polícia Federal), continua e chegou a Mato Grosso do Sul. O delegado Cleo Matusiak Mazzotti, que atuava no Estado como delgado ‘comum’, foi nomeado para o cargo de superintendente, sendo agora o comandante da PF em MS. Ele substitui Luciano Flores de Lima, que deixou MS para ir e assumir o comando da Federal no Paraná, onde teve um grande descontingenciamento da direção regional. Os membros ‘paranaense’, foram levados a Brasilia para compor o Ministério da Justiça, comandado agora pelo ex-juiz Sergio Moro, que trabalhou com a maioria no Judiciário Federal daquela região.

A nomeação foi divulgada nesta quinta-feira (31) no Diário Oficial da União, apontando o novo cargo de direção maior a Mazzotti, que chefiava a Delegacia Regional Executiva em MS. Atualmente, ele ate já respondia de forma interina pela PF. O novo superintendente também já esteve à frente do setor de investigação e combate ao crime organizado, responsável pela operação Lama Asfáltica, maior ação contra corrupção no Estado, que envolve grandes entes políticos de antigas e atuais administrações de MS.

A operação Lama Asfáltica, que já teve quatro desdobramentos ou fases, tem força-tarefa que investigou ou ainda tem em curso processos sobre  desvio de dinheiro na gestão do ex-governador André Puccinelli (MDB). As acusações que em alguns casos já viraram procedimentos judiciais, envolvendo obras, compra de livros e incentivos fiscais em desvios de recursos ou como forma de propinas recolhidas.

Breve Currículo

Mazzotti é formado em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina e faz pós graduação em Gestão Pública. De 2006 a 2015, o delegado atuou em Foz do Iguaçu, Londrina e Curitiba, no Paraná.

Desde 2015, está na superintendência da PF em Campo Grande. Desde que chegou, neste período de três anos, esteve a frente do setor de investigação e combate ao crime organizado. Como respondia pelo setor da  Delegacia Regional Executiva em MS.