Delcídio fala em voltar à política e reforça que por onde anda tem apoio

Nádia Nicolau

O ex-senador federal, Delcídio do Amaral, concedeu entrevista hoje (4), ao programa Capital Meio Dia, da Capital FM. Ele iniciou a conversa lembrando que muito antes de ingressar ao universo da política, era um executivo que já viveu fora e diz ter uma “uma visão diferente das coisas”. Delcídio já esteve à frente de uma das maiores e principais empresas do país, a Petrobrás.

Para quem não sabe, o ex-senador, conhecido por ter pertencido ao PT (Partido dos Trabalhadores), ao dar os primeiros passos na política, chegou a preencher ficha de filiação no PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), mas que “acabou não sendo formalizada e ficou na gaveta”.

Após três anos e oito meses fora da política, Delcídio relatou que após os escândalos políticos em que se envolveu e que colocou em xeque seu cargo, resultando em cassação, ele e sua família passaram por um momento difícil. “Imagina passar o que eu passei, um camarada com uma vida absolutamente dinâmica. Não só senti pessoalmente, mas também minha família, estou causando um problemão na vida dessas pessoas que não têm nada a ver com isso. De uma hora para outra seu mundo cai. Você vai ao fundo do poço”.

Delcídio ainda desabafou e enfatizou que “são nesses momentos em que a gente conhece efetivamente nossos amigos”, se referindo às pessoas que continuaram ao seu lado. “Foi duro, você aprende muitas coisas”.

Citando uma frase de Friedrich Nietzsche (filósofo, crítico cultural), Delcídio do Amaral retratou o que pensa sobre tudo o que se passou em sua vida pessoal e política. “O maior inimigo da verdade não é a mentira, o maior inimigo da verdade é a convicção”.

Arrependimento

Delcídio do Amaral define todo o processo de investigações que passaram pela Câmara e Senado como “divisor de águas”. Na época, ele era líder de governo e, aliás, deixou bem claro um dos seus grandes arrependimentos.

“Algo que não teria feito novamente era ter assumido a liderança do governo. Fiz isso em um momento muito difícil, foi um equívoco naquela época. Não carrego mágoas. Aprendi muito com tudo isso. As pessoas podem não concordar com minhas ideias, mas nunca persegui ninguém”, desabafou.

De volta à ativa

Questionado sobre uma possível volta à política, ele disse “vamos começar a nos estruturar e nos organizar, já mapeei o estado inteiro, quero voltar a andar por MS. Tenho um legado. Vamos fazer a dinâmica, mas sem atropelar nada. Ele ressaltou que, inacreditavelmente, depois desse período de exilio, tem encontrado apoio da população em todos os lugares em que percorre.

Analisando o cenário político nacional atual, o ex-senador por Mato Grosso do Sul, Delcídio do Amaral, declarou que “hoje se encontra uma polarização e intolerância”. Ele ainda foi categórico e objetivo. “Sei onde isso termina e quem sofre é o povo”.

Comentários